Ayahuasca: efeitos negativos da bebida alucinógena são menores quando o chá é usado em cerimônias, diz estudo

Um estudo publicado pela revista cientifica PLOS Global Public Health, descobriu que os efeitos negativos da bebida alucinógena ayahuasca, embora sejam geralmente leves e de curta duração, tendem a ocorrer com mais frequência quando a bebida é consumida fora de contextos cerimoniais.

'Consigo lembrar nomes do passado': Terapias tradicionais e experimentais mudam vida de Claudia Rodrigues

Erisipela: entenda a doença que mantém Bolsonaro longe de aparições públicas

O uso não supervisionado foi associado a taxas mais altas de efeitos colaterais negativos. Segundo os pesquisadores, “usar ayahuasca em grupos e cerimoniais, especialmente em um contexto religioso, aparentemente protege os usuários de desenvolver efeitos colaterais mais adversos”.

Entretanto, os autores reconhecem que é difícil avaliar a segurança da ayahuasca usando os mesmos critérios geralmente aplicados a medicamentos mais convencionais, uma vez que os efeitos psicoativos primários de todos os psicodélicos são normalmente vistos como indesejáveis pelos padrões médicos.

Alta da Covid-19: Por quanto tempo preciso ficar isolado se estiver infectado?

Além de seus efeitos psicodélicos, a ayahuasca também é conhecida por desencadear uma intensa purga física, muitas vezes caracterizada por vômitos intensos e, alguns usuários falam que até defecam sem controle.

“Nesse sentido, as práticas da ayahuasca dificilmente podem ser avaliadas com os mesmos parâmetros utilizados para medicamentos prescritos, pois a miríade de seus efeitos inclui experiências desafiadoras intrínsecas à experiência, algumas das quais são consideradas como parte de seu processo de cura”, escreveram os autores do estudo.

Para determinar os efeitos secundários da ayahuasca, os autores do estudo analisaram as respostas de cerca de 10 mil pessoas de mais de 50 países. Segundo a pesquisa, vômitos e náuseas foram os efeitos adversos à saúde física mais frequentes, sendo relatados por cerca de 7 em cada 10 participantes do estudo. Dores de cabeça foram relatados por 18% e a segunda queixa física mais comum associado à bebida.

Além de seus efeitos psicodélicos, a ayahuasca também é conhecida por desencadear uma intensa purga física, muitas vezes caracterizada por vômitos intensos e, alguns usuários falam que até defecam sem controle.

Uso de máscaras e distanciamento social: Sociedade Brasileira de Infectologia divulga orientações para a alta de casos de Covid

“É importante esclarecer que o vômito e a náusea são considerados efeitos normais da ayahuasca para usuários experientes. No caso de cerimônias tradicionais de ayahuasca e mesmo em cerimônias não tradicionais, não apenas o vômito/náusea não é considerado um efeito adverso, mas também é procurado por seus benefícios de purificação e limpeza espiritual percebidos”, afirma os autores.

Efeitos negativos na saúde mental também foram comuns, ocorrendo em 55,4% dos participantes. No entanto, mais da metade desses eventos adversos envolveu “ouvir ou ver coisas que outras pessoas não ouvem ou veem”, o que é uma consequência normal do uso da ayahuasca.