Azerbaijão anuncia 19 civis mortos e 60 feridos em ataque armênio com míssil

·1 minuto de leitura
(Arquivo) Moradores de Barda observam carro destruído após ataque em 9 de outubro de 2020
(Arquivo) Moradores de Barda observam carro destruído após ataque em 9 de outubro de 2020

O Azerbaijão afirmou nesta quarta-feira que 19 civis morreram e 60 ficaram feridos em um ataque com míssil em Barda, perto do território separatista de Nagorno Karabakh, que a Armênia nega ter executado.

Este seria o ataque mais letal contra civis desde o início dos confrontos em 27 de setembro entre as forças azerbaijanas e separatistas armênios de Nagorno Karabakh, região montanhosa do Cáucaso.

O conselheiro da presidência azerbaijana Hikmet Hajiyev afirmou que as forças armênias dispararam mísseis Smerch contra Barda, um ataque que matou 19 civis e deixou 60 feridos. 

A porta-voz do ministério da Defesa da Armênia, Shushan Stepanyan, negou as afirmações do Azerbaijão: "É falsa e sem fundamento", escreveu no Facebook. 

Na terça-feira, as autoridades anunciaram a morte de quatro civis, incluindo um bebê, após um ataque com mísseis contra a mesma localidade, Barda. A ação foi atribuída a Armênia, mas Yerevan nega.  

Mais de 100 civis dos dois lados morreram desde o início do conflito. 

Armênia e Azerbaijão trocam acusações sobre o desrespeito aos acordos de cessar-fogo assinados em 10 e 17 de outubro, com mediação da Rússia, França e Estados Unidos.

Os dois países disputam a região de Nagorno Karabakh desde que os separatistas armênios, apoiados por Yerevan, assumiram o controle da área em uma guerra na década de 1990 após o colapso da União Soviética. O conflito deixou 30.000 mortos.

eg-im/mm/txw/mar/zm/grp/mar/fp