Bélgica fecha fronteiras para viajantes procedentes do Brasil, Índia e África do Sul

·1 minuto de leitura
Teste de covid-19 em Bruxelas

O governo da Bélgica decidiu proibir a entrada no país de viajantes procedentes do Brasil, Índia e África do Sul, para conter a propagação de variantes locais do coronavírus, anunciou o gabinete do primeiro-ministro Alexander de Croo.

Uma resolução do ministério do Interior vai detalhar "o mais rápido possível" as modalidades da medida, que a princípio não será aplicada a funcionários diplomáticos e membros de organismos internacionais que precisem viajar obrigatoriamente, completou o gabinete em um comunicado.

A medida é aplicada a viagens de "avião, trem, barcos e ônibus" e também afeta o trânsito pelo território belga.

"Os cidadãos belgas, assim como as pessoas que têm residência na Bélgica, poderão retornar da Índia, Brasil ou África do Sul. Porém, recomendamos fortemente que não viajem para estes países", afirma o comunicado.

O governo federal belga acompanha "de perto o desenvolvimento da situação epidemiológica. Estão previstas novas consultas a nível da UE, em particular com os países vizinhos, com o objetivo de alcançar uma abordagem coordenada", completa.

O secretário belga para Asilo e Migração, Sammy Mahdi, elogiou o anúncio do governo e disse que não busca as "medidas mais estritas, e sim as mais seguras".

"Com tudo o que sabemos agora sobre as mutações do coronavírus é impossível autorizar agora estas viagens", completou em um comunicado.

"Os belgas ainda podem retornar para casa na Europa, mas devem passar por exames e medidas de quarentena muito estritas. Desaconselhamos enfaticamente todas as viagens", afirmou o secretário.

mad/ahg/zm/fp