Bônus de meio milhão de euros pagos à conselheira da TAP derruba ministro de Portugal

O ministro português das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, renunciou nesta quinta-feira em mais um desdobramento do escândalo no governo do primeiro-ministro Antonio Costa após o pagamento de uma compensação milionária a uma ex-conselheira da TAP, a companhia aérea estatal que está recebendo mais de € 2 bilhões (R$ 11,1 bilhões) em socorro do governo.

Em Portugal: 10% dos empréstimos para comprar imóvel ficam com estrangeiros

Haddad: ‘Neste momento, o mais importante é harmonizar política fiscal e monetária’

Santos, que serviu no governo de Costa em diferentes cargos nos últimos sete anos, assumiu “responsabilidade política” pelo caso envolvendo a ex-conselheira da TAP Alexandra Reis, disse o ministério de Infraestrutura em um comunicado.

Alexandra recebeu € 500 mil, o equivalente a R$ 2,7 milhões, de indenização depois de deixar a companhia aérea em fevereiro, um valor que gerou polêmica diante do fato de a TAP está sendo socorrida pelo governo e em meio a uma insatisfação crescente da população com a alta da inflação no país.

Ela assumiu o cargo de secretária de Estado do Tesouro no dia 2 deste mês, mas serviu por menos de quatro semanas antes que o ministro da Fazenda, Fernando Medina, pedisse sua renúncia ao cargo na última segunda-feira, dia 27.

Na reta final de 2022: Turismo em Portugal encerra o ano com receitas acima de 2019

O primeiro-ministro Costa, que lidera um governo apoiado por uma maioria socialista no parlamento, disse em setembro que Portugal planejava privatizar a TAP em 12 meses.