Bacalhau da Noruega rende 30% mais e mantém sabor diferenciado

BACALHAU DA NORUEGA
·3 minuto de leitura

Presença certa nas mesas de celebração da Páscoa e do Natal, o bacalhau é conhecido por ser versátil e servido em pratos variados. O que poucas pessoas sabem é que, apesar de ser um prato tradicional em Portugal, o peixe saudável e com sabor diferenciado é, na verdade, originário da Noruega. O Gadus morhua, nome científico do bacalhau que vem do país nórdico, guarda características que o fizeram conquistar consumidores do mundo todo.

— O diferencial dele está na sua origem. É no habitat do mar da Noruega, puro e gelado, que os peixes crescem devagar, desenvolvendo lentamente o sabor e a textura perfeitos, tão apreciados por chefs, especialistas e consumidores — afirma Øystein Valanes, diretor do Conselho Norueguês da Pesca.

Para chegar ao sabor máximo do bacalhau da Noruega e de peixes salgados secos de mesma origem, como o Saithe, o Zarbo e o Ling, é importante seguir à risca a dessalgação correta. Esse processo garante que o rendimento do peixe cresça até 30%.

— É importante seguir as orientações de manter o peixe em água gelada, que deve ser trocada, no mínimo, duas vezes por dia. O tempo que ele deve ficar de molho varia de acordo com o seu tamanho. Cada centímetro de altura equivale a 24 horas na água. É possível congelar o bacalhau depois da dessalgação — explica Øystein.

Além de determinar o sabor do bacalhau, a origem do peixe e o processo que vai da pesca à venda fazem dele um alimento muito saudável, que pode ser consumido diariamente. A Noruega possui sistemas que permitem que as informações sobre os peixes sejam rastreadas em toda a cadeia de alimentos, deixando disponíveis dados sobre a área em que foi feita a pesca e os detalhes sobre a saúde dos animais.

— Além do processo de salga e secagem dos peixes ser natural e livre de conservantes, a pesca da Noruega é altamente sustentável. O país tem uma das maiores comunidades de pesquisa e desenvolvimento para produtos do mar do mundo, e a maior parte da pesca noruguesa está certificada conforme normas internacionais de meio ambiente— defende o diretor.

De acordo com Øystein,em 2020, em plena pandemia do novo coronavírus, a Noruega exportou 2,7 milhões de toneladas de frutos do mar, o que equivale a 37 milhões de refeições todos os dias ao longo de um ano ou 25 mil refeições por minuto. Ainda segundo Øystein, o Brasil é o terceiro país do mundo no ranking norueguês de exportação de bacalhau. Em seguida, estão Portugal e a República Dominicana.

— O Brasil é reconhecidamente um importante parceiro comercial da Noruega para o segmento de pescados. Estamos vendo um maior foco na alimentação saudável, não só no Brasil, mas em um movimento global. O bacalhau é um prato tradicional na mesa dos brasileiros há algum tempo, faz parte da cultura gastronômica daqui. É muito esperado em datas especiais, como Páscoa e Natal, além do sucesso em receitas clássicas, como o famoso bolinho. É um peixe extremamente saboroso e que permite muitas combinações. Os brasileiros estão descobrindo a cada dia mais formas de preparar o bacalhau e podem consumi-lo em qualquer dia do ano — avalia Øystein.

Deu vontade de saborear? Confira a forma correta de dessalgar o peixe no box abaixo.