Bachelet e Trump manterão contato para abordar situação da Venezuela

Santiago (Chile), 20 mar (EFE).- A presidente do Chile, Michelle Bachelet, disse nesta segunda-feira que na conversa telefônica de domingo com o líder americano, Donald Trump, ambos decidiram manter contato para apoiar a busca de uma saída para a "situação interna" da Venezuela.

"Ficamos de manter contato para ver e apoiar a Venezuela em uma saída tranquila da situação interna que está vivendo, há preocupação pelo tema humanitário", afirmou a governante durante uma entrevista coletiva no Palácio de La Moneda, sede do governo chileno.

Trump ligou para Bachelet na tarde de domingo e "demonstrou sua preocupação" sobre a situação que a Venezuela vive.

"Eu comentei quais eram os trâmites que a Chancelaria está fazendo com outros chanceleres a respeito disso", acrescentou a líder chilena.

Além da situação da Venezuela, Bachelet e Trump falaram sobre o futuro das relações entre ambos os países, que, segundo a Casa Branca, mantêm uma "estreita cooperação em questões comerciais e de segurança".

Trump disse "o mesmo que o vice-presidente (Mike) Pence já tinha dito poucos dias antes de assumir o cargo, que o Chile é um país muito importante para os EUA", disse Bachelet.

Nessa linha, a governante destacou que a intenção de Trump é "seguir mantendo as boas relações". Além disso, Bachelet informou que o líder americano a convidou para ir à Casa Branca "o mais rápido possível".

Trump já tinha discutido o tema da Venezuela com o presidente do Brasil, Michel Temer. Segundo a Casa Branca, em uma "longa e muito frutífera" conversa com o presidente brasileiro, Trump destacou "a importância de fomentar o respeito aos direitos democráticos e humanitários na Venezuela". EFE