Bahia City projeta maior folha salarial da história do clube

CEO do Grupo City, Ferran Soriano está em Salvador desde quinta-feira (Chris Brunskill/Fantasista/Getty Images) (Getty Images)

O Grupo City já tem uma série de planos para sua primeira temporada à frente do Bahia, em 2023. O Blog apurou com uma das pessoas envolvidas que o City Football Group pretende contar com uma folha salarial de até R$ 10 milhões por mês no retorno do time à primeira divisão nacional.

Nunca, em toda a sua história, o Bahia gastou perto de tais cifras. O elenco mais caro já formado pelo Tricolor se deu em 2021, quando a folha era de R$ 6,4 milhões mensais. Curiosamente, o time com Gilberto, Rossi, Rodriguinho e companhia acabou rebaixado no Brasileiro.

Leia também:

Agora, na Série B, o Bahia desembolsa bem menos: na casa dos R$ 2 milhões. Ou seja, o Grupo City terá a oportunidade de quintuplicar o custo do elenco para garantir uma boa campanha na temporada de retorno à elite.

A título de comparação, com R$ 10 milhões mensais, o Bahia teria hoje uma folha superior às de Athletico (finalista da Libertadores) e Fluminense (semifinalista da Copa do Brasil). Os paranaenses gastam R$ 7 milhões por mês, contra R$ 6 milhões do Flu.

"O torcedor do Bahia só não pode esperar que já seja um time brigando por título brasileiro e da Copa do Brasil no primeiro ano. É um projeto a médio prazo, que fará com que o clube esteja pronto para disputar as principais competições em três ou quatro anos", explica uma fonte ouvida pelo Blog.

Veja mais de Jorge Nicola no Yahoo Esportes

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

Segunda Bola #83 - O que esperar da Seleção na última Data Fifa antes da Copa?

A Copa do Mundo está chegando. E nos próximos dias, Tite terá a última oportunidade de ver atletas em campo antes do período de treinamentos na Itália que antecederá a viagem para o Catar. A lista está fechada? Se não, quem tem chance? A lateral direita é um problema? Alexandre Praetzel, Jorge Nicola e Matheus R. Ribeiro discutem sobre o tema.