Bairros da Zona Oeste do Rio lideram ranking de queixas de lâmpadas queimadas

·3 min de leitura

RIO — De janeiro até setembro, a prefeitura do Rio recebeu 106.935 chamados sobre lâmpadas queimadas. Segundo a RioLuz, 86,5% deles já foram atendidos. Os três bairros que lideram em número de queixas ficam na Zona Oeste: Campo Grande, com 6.691; Santa Cruz (3.587); e Bangu, que acumula 3.074 reclamações.

Carlos Alberto Pieroni tem 34 anos e mora em Campo Grande desde que nasceu. Ele afirma que o bairro sempre teve muitos problemas de manutenção dos serviços públicos, inclusive de iluminação.

— Faço muito percurso a pé pelo bairro e são inúmeros os pontos mal iluminados. Na Estrada da Cachamorra, por exemplo, há trechos extremamente escuros, onde a maioria das pessoas evita passar por insegurança — conta o professor de Educação Física.

Mas o problema não se restringe à Zona Oeste. Carmen Marins mora na Rua do Catete, na Zona Sul, e diz que a iluminação da via é a mesma desde que se mudou para lá, há mais de dez anos.

— Qualquer pessoa que passa pela Rua do Catete à noite percebe que a iluminação é péssima. Todas as lâmpadas são amarelas e não iluminam bem. Quando queimam, a prefeitura troca pelas mesmas luminárias ruins. De dia, tem gente andando de um lado para o outro. Mas, de noite, quase ninguém passa por aqui sozinho — diz a aposentada.

Na última segunda-feira (25), outra moradora reclamou dos problemas de iluminação da região no Twitter da prefeitura: “Por favor, há alguns dias as luzes dos postes da Rua Visconde de Cruzeiro, no Flamengo, não são acesas. Essa rua fica escura sem as luzes. Por favor, voltem a acender. Obrigado”.

Quase 150 mil lâmpadas trocadas por LED

Segundo o presidente da RioLuz, Pierre Domiciano, desde fevereiro, quando se iniciou a substituição de lâmpadas por toda a cidade pelo programa Luz Maravilha, quase 150 mil dos 450 mil pontos de iluminação pública do município — um terço do total — já foram trocados por lâmpadas brancas de LED, que iluminam melhor e são mais econômicas e sustentáveis.

A previsão da prefeitura é de que essa substituição seja universalizada até o fim de 2022: um investimento de cerca de R$ 1,4 bilhão que refletirá numa economia anual de R$ 120 milhões aos cofres municipais.

Domiciano afirma o compromisso de que todos os problemas citados serão solucionados.

— Já foram 145.265 pontos de luz distribuídos por todos os bairros simultaneamente. Nós estamos priorizando áreas com o IDH mais baixo, índices de violência mais altos, e onde a cidade estava mais apagada. Iremos revitalizar todas áreas que ainda não foram atendidas, esse é o nosso compromisso. O carioca pode ter certeza que essas intervenções só deixarão a cidade mais bonita e segura — estima.

Algumas das vias que estão sendo contempladas atualmente pelo Luz Maravilha são a Avenida Paulo de Frontin, no Rio Comprido; a Estrada da Gávea Pequena, no Alto da Boa Vista; a Rua Clarimundo de Melo em Quintino; a Rua Visconde de Santa Isabel, em Vila Isabel; e a Estrada do Cafundá, em Jacarepaguá.

As avenidas Presidente Vargas, das Américas (trecho do Jardim Oceânico), Marechal Rondon, Dom Helder Câmara, Felipe Cardoso e Cesário de Melo são exemplos de grandes vias já integralmente modernizadas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos