Baixa adesão à vacina da gripe leva Prefeitura de SP a realizar 'Dia D'

·3 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 27-04- 2021, 10h: Vacinação contra a gripe realizada na manhã desta terça-feira, 27, na EMEI Armando de Arruda Pereira, República, centro da capital. (Foto: Jardiel Carvalho/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 27-04- 2021, 10h: Vacinação contra a gripe realizada na manhã desta terça-feira, 27, na EMEI Armando de Arruda Pereira, República, centro da capital. (Foto: Jardiel Carvalho/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Neste sábado (15), os mais de 460 postos de vacinação instalados nas escolas e estabelecimentos de ensino da cidade de São Paulo estarão abertos das 8h às 17h para o Dia D da vacinação contra a gripe.

A medida foi tomada por causa da baixa adesão dos grupos elegíveis para receber o imunizante. Até a última quarta-feira (12), 622.611 pessoas foram vacinadas na capital paulista. A meta é imunizar 4,7 milhões de pessoas até o dia 9 de julho, data de encerramento da campanha iniciada no dia 12 de abril.

A baixa adesão à vacina da gripe ocorre não somente na cidade de São Paulo, mas em todo o estado. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, gestão João Doria (PSDB), até esta quinta-feira (13), apenas 38% dos públicos iniciais procuraram pela vacina da gripe. Diante disso, o governo estadual paulista a convocar os grupos integrantes da campanha.

Diferentemente do que ocorreu nos últimos anos, a primeira etapa da vacinação contra a gripe em 2021 começou pelos trabalhadores de saúde, crianças de 6 meses a 5 anos, indígenas, gestantes e mulheres com até 45 dias após o parto (puérperas). A definição dessa mudança por parte do PNI (Plano Nacional de Imunização) ocorreu para evitar o cruzamento de pessoas com mais de 60 anos que estão sendo imunizadas contra a Covid-19.

Desde a última terça-feira (11) estão sendo vacinadas pessoas com 60 anos ou mais e os professores das escolas públicas e privadas.

A terceira e última fase da campanha está prevista para começar no dia 9 de junho. De lá até 9 de julho, serão imunizados, entre outros, portadores de doenças crônicas, caminhoneiros, trabalhadores do transporte público, de portos, agentes do sistema prisional, adolescentes e jovens custodiados e privados de liberdade.

A meta é imunizar 90% de todos esses grupos até o fim da campanha.

Atualização vacinal Além da vacina contra a Influenza, a Prefeitura de São Paulo também está ofertando a atualização da caderneta de vacinação.

Desde o dia 12 de abril até agora, apenas 52.311 carteirinhas de vacinação foram atualizadas.

A vacina contra a Influenza pode ser aplicada simultaneamente com qualquer outra vacina do PNI, exceto a que imuniza contra o coronavírus.

Covid-19 Como as vacinas contra a gripe e contra a Covid-19 não podem ser aplicadas de forma simultânea, poderão tomar o imunizante da gripe todos aqueles que já completaram o ciclo vacinal contra a Covid-19 há mais de 14 dias. Para aqueles que ainda não completaram o ciclo da vacinação contra o coronavírus, a dica é adiar a imunização contra a gripe.

A vacinação contra a gripe não poderá ser administrada se a pessoa estiver contaminada pelo novo coronavírus ou se teve a doença há menos de 28 dias. Nesses casos, a pessoa deve remarcar a data.

Aqueles que tomaram a primeira ou a segunda dose da vacina contra a Covid-19 poderão tomar o imunizante contra a gripe desde que seja respeitado o intervalo de 14 dias entre elas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos