Balanço da gestão Crivella: especialistas avaliam atuação em várias áreas da prefeitura do Rio

Lucas Altino
·1 minuto de leitura
Foto: Gabriel de Paiva em 27-11-2020 / Agência O Globo

Eleito com a bandeira “cuidar das pessoas”, Marcelo Crivella deixou o cargo de prefeito de maneira melancólica, não só por seu afastamento determinado pela Justiça, uma decisão com base em denúncias de corrupção, mas por conta de promessas não cumpridas. O GLOBO checou a lista de compromissos divulgados pelo político do Republicanos durante a campanha de 2016 — registrados junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) — e anunciados ao longo dos seus primeiros meses de gestão. O resultado do balanço tem dados positivos, mas vários planos ficaram pelo caminho.

Na Saúde, houve redução da cobertura da atenção básica; na Educação, o índice de 50% de alunos estudando em tempo integral não foi conquistado. Entre os pontos positivos, a revisão de contratos com organizações sociais (OSs) e a criação de atividades extracurriculares nas escolas, como aulas para ingresso em orquestras e programa para maior participação dos pais.

Em relação às promessas de obras, a maioria envolvia a conclusão de projetos deixados incompletos por Eduardo Paes, como o BRT Transbrasil e a recuperação da Ciclovia Tim Maia (nenhuma das duas foi cumprida). A pedido do GLOBO, especialistas apontaram erros e acertos da gestão, fazendo um balanço do trabalho de Crivella à frente do município.

— A população perdeu a autoestima, ficou sem esperança de desenvolvimento. A gestão termina sem uma marca — diz o economista e professor da Uerj Bruno Sobral, um dos especialistas ouvidos.