Baleia acusa Lira de mentir e vê rival de salto alto em disputa na Câmara

DANIELLE BRANT
·3 minuto de leitura
BRASÍLIA, DF, 28.01.2021 - BALEIA-ROSSI-DF - O deputado Baleia Rossi, candidato do MDB à Presidência da Câmara, concede entrevista após participar de sabatina sobre medidas anticorrupção na Câmara, nesta quinta-feira (28). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
BRASÍLIA, DF, 28.01.2021 - BALEIA-ROSSI-DF - O deputado Baleia Rossi, candidato do MDB à Presidência da Câmara, concede entrevista após participar de sabatina sobre medidas anticorrupção na Câmara, nesta quinta-feira (28). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Candidato do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) à Presidência da Câmara, o deputado Arthur Lira (PP-AL) tem plantando notícias mentirosas e está de "salto alto" na disputa, afirma seu adversário na corrida eleitoral, deputado Baleia Rossi (MDB-SP).

Baleia, presidente do MDB, é o nome apoiado pelo atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para sucedê-lo. Nos últimos dias, ganharam força notícias de que o bloco de Maia estaria enfrentando defecções importantes, inclusive dentro do DEM, partido do deputado.

A eleição acontece nesta segunda-feira (1º), no plenário da Câmara.

Em entrevista após participar de uma rodada de perguntas promovidas pela frente parlamentar contra a corrupção nesta quinta-feira (28), Baleia afirmou que seu adversário está desesperado.

"Quem está ganhando a eleição não precisa mentir. E os nossos adversários estão mentindo muito, e isso é sinal de desespero", afirmou. O presidente do MDB disse que está conversando com deputados e descartou qualquer possibilidade de o DEM migrar para o bloco de Lira -aliados do líder do centrão calculam ter dois terços de apoio no partido de Maia, que nega.

"Vejo um desespero muito grande por parte do nosso adversário. Vejo plantações de notícias mentirosas, vejo eles de salto alto, cantando vitória", afirmou. "E vejo também uma interferência brutal do Palácio do Planalto na tentativa de diminuir o debate da Câmara, de fragilizar o trabalho dos parlamentares."

Na quarta-feira (27), o próprio Bolsonaro admitiu interferência nas eleições à Presidência da Câmara.

Para tentar eleger Lira, o Planalto tem, desde o final do ano passado, acenado com cargos e emendas e ameaçado retirar de funções na máquina federal indicados políticos de deputados federais de siglas como MDB e DEM.

Em reação, Maia afirmou que essa intervenção vai deixar sequelas para os lados envolvidos na disputa.

"É um alerta aos deputados e deputadas que a intenção do presidente é transformar o Parlamento num anexo do Palácio do Planalto, o que enfraquece o mandato de cada deputado e cada deputada e, principalmente, o protagonismo da Câmara dos Deputados nos debates com a sociedade."

O presidente da Câmara estimou que o Executivo tenha prometido cerca de R$ 20 bilhões em emendas extraorçamentárias para tentar assegurar apoio a Arthur Lira (PP-AL).

Nesta quinta, Baleia afirmou ainda que pretende votar a reforma tributária, relatada pelo deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), ainda no primeiro trimestre. Segundo ele, caso as mudanças já tivessem sido aprovadas, a montadora Ford não teria deixado o país.

"Nós temos a saída da Ford como algo muito forte nesses últimos tempos. Se nós tivéssemos a simplificação tributária pela PEC [Proposta de Emenda à Constituição] 45, da união dos cincos impostos federais, estadual e municipal, já implementada, com certeza a Ford não sairia. Nós não estaríamos vivendo esse processo de desindustrialização que nós estamos vivendo hoje."

O presidente do MDB disse ainda ser favorável à regulamentação do lobby. "Esse é um tema que já se arrasta na Câmara há muito tempo", disse. "Não entendo por que ainda não houve deliberação do assunto."