Baleia e Lira, candidatos à presidência da Câmara, começam agenda de viagens

Natália Portinari e Bruno Góes
·3 minuto de leitura
Montagem com divulgação

BRASÍLIA — Os deputados Arthur Lira (PP-AL) e Baleia Rossi (MDB-SP), principais candidatos a presidente da Câmara dos Deputados, dão início nesta semana a uma agenda de viagens pelos estados para angariar votos dos demais parlamentares. A eleição ocorre em 1º de fevereiro, após a volta do recesso.

Nesta quarta-feira, Baleia deve lançar sua campanha formalizando os apoios de partidos que recebeu até agora. Depois, na quinta, já começa a viajar. A agenda ainda não está definida. Está em estudo uma viagem para o Ceará, onde Baleia pode se encontrar com o senador Cid Gomes e seu irmão, Ciro Gomes, do PDT, e com o governador Camilo Santana (PT).

— A ideia é otimizar para passar por todos os estados — diz Isnaldo Bulhões (AL), futuro líder do MDB.

Lira espera ganhar votos de cerca de 13 parlamentares pedetistas, como André Figueiredo (CE). A bancada é composta por 27 deputados. Bulhões nega que haja uma preocupação específica com o Ceará.

— Tem que começar por algum canto. Ceará, se for por lá, é porque tem um grande número de deputados. Acho que o caminho de todos os candidatos é tentar evitar as defecções que existem. Do outro lado, imagino que esse seja o mesmo propósito também.

Lira, por sua vez, já tem programado um giro pelo Norte do País. Nesta terça-feira, ele visita Macapá (AP) e Belém (PA). Na capital do Amapá, tem reunião com o governador Waldez Góes (PDT), seguida de reunião com parlamentares do estado. Já no Pará, o deputado terá audiência com o governador Helder Barbalho (MDB). Logo depois, falará também com mais deputados.

Ainda esta semana, Lira passará por Boa Vista (RR), Manaus (AM), Rio Branco (AC) e Porto Velho (RR). A ideia é usar a interlocução com governadores e congressistas para ganhar votos de dissidentes. Segundo o líder do PP, a maior parte das bancadas de PSB, PSL e DEM, partidos vinculados ao bloco de Baleia Rossi, devem apoiar a sua candidatura.

O discurso para a campanha já está montado. Lira tem dito que em sua gestão não haverá espaço para "o centralismo" nas decisões da Câmara. É uma crítica direta a Rodrigo Maia (DEM-RJ), que apoia Rossi, por ter grande peso nas decisões sobre a pauta da Câmara. Em seu discurso para conquistar votos, Lira diz que todos os deputados terão o mesmo espaço.

O deputado deve percorrer outras regiões do país, mas a agenda do próxima semana ainda está indefinida: Lira pode seguir para estados do Nordeste ou Centro-Oeste.

Baleia tem o apoio do atual presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e forma um bloco com onze partidos. Juntas, essas siglas somam 273 deputados. Integram o grupo DEM, MDB, PSDB, PSL, Cidadania, PV, PT, PSB, PDT, Rede e PCdoB.

Já Arthur Lira (PP-AL), apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, conseguiu formar um bloco com PP, PL, PSD, Republicanos, Avante, Patriota, Solidariedade, Pros e PSC. Essas legendas têm 195 parlamentares. O líder do PP ainda negocia com PTB e Podemos.