Balsa de garimpo que teria invadido terra indígena é apreendida no Pará

·1 min de leitura

Uma balsa de garimpeiros que teriam invadido o território Xipaya, no Sudoeste interior do Pará, foi apreendida neste sábado (16), no Sudoeste do Pará, em uma operação do ICMBio, Polícia Federal e da Força Nacional de Segurança Pública. A operação foi organizada depois de a cacica Juma Xipaya denunciar nas redes sociais a entrada dos garimpeiros na terra indígena.

A tripulação da balsa era de sete adultos e dois adolescentes. Os adultos foram levados para a delegacia da PF de Itaituba, e os menores estão sob os cuidados da Justiça. A balsa estava junto a uma draga e a uma esteira, equipamentos usados no garimpo em rios.

O delegado da Polícia Federal Paulo Teixeira, chefe do Serviço de Repressão a Crimes Contra Comunidades Indígenas, informou ao G1 que a balsa estava em um local conhecido como Riozinho do Anfrísio, na zona rural do município de Altamira, onde também fica a reserva Xipaya.

O delegado ressalvou que a balsa não será destruída, mas deverá ser destinada a ações de fiscalização do ICMBio. A embarcação foi localizada depois que lanchas da operação percorreram os afluentes do Rio Iriri, por onde os garimpeiros teriam entrado na região da aldeia Kaarimã, na terra Xipaya.

A polícia não informou se encontrou armas com eles. Não foi informado também o que os ocupantes da balsa disseram e se ficaram presos, nem se todos são garimpeiros ilegais. Também não foi informado se a balsa chegou a ser usada em extração ilegal de ouro na região.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos