Consumo de maconha sintética nos EUA deixa um morto e vários hospitalizados

Washington, 2 abr (EFE).- Pelo menos uma pessoa morreu em Illinois (EUA) após ter consumido maconha sintética, motivo pelo qual nos últimos dias quase 40 pessoas foram hospitalizadas nesse estado dos Estados Unidos, informaram nesta segunda-feira os meios de comunicação locais.

No total, pelo menos 38 indivíduos tiveram que ser levados às instalações dos serviços de saúde por sangramentos de diferentes classes após ter consumido esta substância, também conhecido como Spice ou K2.

"Os sintomas podem incluir sangramentos nos olhos e nos ouvidos; os casos em Illinois estão tossindo sangue, sangrando na urina, sangrando pelo nariz e nas gengivas e as mulheres menstruada estão tendo um fluxo de sangue maior do que o normal", afirmou no Twitter o Departamento de Saúde Pública do estado.

Segundo a imprensa local, as autoridades informaram sobre a morte de uma pessoa no sábado, embora estas não precisaram nenhum dado relativo à vítima e nem sobre a cidade na qual aconteceu o falecimento.

Até o momento, os afetados estavam entre a área de Chicago, onde houve dez casos, e a zona central de Illinois.

Neste sentido, três dos indivíduos hospitalizados testaram positivo para brodifacoum - veneno para ratos - após ser submetido a um teste de entorpecentes.

Segundo informaram nos últimos dias as autoridades de Chicago, estes produtos sintéticos não são uma só droga, mas uma mistura de centenas de produtos químicos que atuam nas células receptoras do cérebro, como se fossem o mesmo ingrediente viciador da maconha.

Também destacaram que esta substância artificial é vendida, por exemplo, como líquido para vaporizadores e os efeitos na saúde das pessoas podem ser imprevisíveis e potencialmente fatais. EFE