Banco Mundial aponta falta de equipe capacitada para vacinar em países em desenvolvimento

·2 minuto de leitura
Enfermeira prepara dose da vacina desenvolvida pela Sinopharm da China contra a covid-19 durante campanha de vacinação de profissionais de saúde em meio à pandemia de coronavírus, em Ate, distrito de Lima, em 19 de fevereiro de 2021.

A grande maioria dos países de baixa e média renda possui um plano nacional de vacinação contra a covid-19, mas a equipe capacitada para vacinar é insuficiente, afirmou o Banco Mundial em um relatório publicado nesta quinta-feira (18).

O estudo focou em dez indicadores-chave, como a rede de armazenamento em temperaturas baixas e a logística, a priorização da população a ser vacinada, o monitoramento da segurança da imunização e o treinamento dos profissionais da saúde.

"Os resultados iniciais mostram que 85% dos países que participaram nas avaliações desenvolveu planos nacionais de vacinação e 68% conta com medidas de segurança, incluindo sistemas para notificar reações adversas" às vacinas, disse a instituição com sede em Washington.

"No entanto, apenas 30% desenvolveram planos para capacitar a grande quantidade de vacinadores que serão necessários e somente 27% criaram estratégias de mobilização social e participação pública para incentivar as pessoas a se vacinarem", acrescentou em nota.

O Banco Mundial está trabalhando com os governos, com a Organização Mundial da Saúde (OMS), Unicef, a ONG Global Fund e a aliança Gavi para avaliar o preparação para a aplicação de vacinas anticovid em 128 países de rendas baixa e média.

"Devido às preocupantes dúvidas sobre as vacinas, são necessárias com urgência estratégias para gerar confiança", enfatizou o Banco Mundial.

Mamta Murthi, vice-presidente de Desenvolvimento Humano do Banco Mundial, destacou que "muitos países em desenvolvimento estão preparando planos agressivos para a distribuição das vacinas".

Mas disse que "ainda existem brechas significativas que devem ser abordadas com urgência para que os lançamentos de vacinação em grande escala tenham sucesso".

O Banco Mundial destinou 12 bilhões de dólares para que os países em desenvolvimento comprem e distribuam vacinas, testes e tratamentos contra a covid-19, assim como para fortalecer os sistemas de saúde para garantir que sejam aplicadas nas pessoas que precisam.

Segundo suas estimativas, seus programas de vacinação chegarão a "mais de 40 países em curto prazo, mobilizando 3 bilhões dos 12 bilhões de dólares disponíveis".

Dt/jum/abx/ad/rs/aa/mvv