Bancos vão controlar acesso de entrada e saída de clientes a agências

Banco irá adotar um escalonamento no acesso de clientes ao interior das agências

Para discutir medidas para preservar a saúde dos funcionários e clientes, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) se reuniu com as 236 entidades sindicais que representam os cerca de 450 mil bancários de todo o Brasil na última terça-feira (17). Entre as ações acordadas estão: novos protocolos de limpeza das agências; adoção de teletrabalho, quando for possível; divisão das equipes para reduzir o número de profissionais concentrados ao mesmo tempo nos locais de trabalho. Como o serviço é considerado essencial, as atividades não serão interrompidas.

No encontro, que aconteceu de forma virtual, foi criada a Comissão Bipartite Covid-19: canal direto e permanente de troca de informações entre bancos e as entidades que representam os bancários sobre as ações adotadas.

Também foi convencionado que os bancos poderão reorganizar os atendimentos internos ou mesmo escalonar o atendimento para evitar colocar os consumidores em risco. A Caixa já colocou em prática a orientação, controlando o acesso da entrada e saída de clientes em agência, gerenciando filas, além de estar distribuindo senhas em cores para diferenciar a necessidade individual e agilizar o atendimento. A instituição também anunciou a abertura antecipada de unidades selecionadas em uma hora, para atender os clientes que estão no chamado grupo de risco.

Dentre as ações internas, o banco liberou grávidas, pessoas com mais de 60 anos, imunossuprimidos, diabéticos, portadores de doenças cardiovasculares ou pulmonares e em tratamento de câncer para trabalharem de casa e implementou  chats, vídeos ou audioconferências no lugar de reuniões, pontos de controle e treinamentos presenciais.

O Santander irá interromper as atividades em parte de suas agências nas regiões metropolitanas de São Paulo e do Rio de Janeiro, locais com maior número de casos registrados de Covid-19. Os bancários que trabalham nessas unidades entrarão em férias coletivas por 15 dias e, após esse período, está previsto um rodízio com outras agências. Já nas que permanecerão abertas, em todo o país, o horário de funcionamento será reduzido em duas horas, passando a funcionar das 10h às 14h.

Também será adotado um escalonamento no acesso de clientes ao interior das agências, em grupos de 10 a 20 pessoas por vez, conforme o tamanho da loja, de forma a garantir uma distância mínima de um metro entre todos. Além disso, as agências com maior concentração de pensionistas e clientes idosos vão funcionar em horário exclusivo para o atendimento dessa população mais vulnerável à doença, das 9h às 10h. O banco ainda vai antecipar o pagamento de 100% do 13º salário aos seus funcionários.

O Bradesco também adotou uma série de medidas emergenciais, como a dispensa de colaboradores considerados como grupo de risco, além de estagiários e menores aprendizes; regime de home office para o maior número possível de empregados; aumento da frequência das rotinas de limpeza na rede de agências e terminais de autotendimento; além de disponibilizar álcool em gel em suas dependências.

O banco afirmou estar incentivando o uso dos canais digitais para todas as operações. Na rede física, os gerentes do Bradesco estão sendo orientados a organizarem o atendimento nas Agências nos momentos de maior concentração para diminuir riscos de propagação do novo coronavírus pela proximidade das pessoas.

O Itaú Unibanco disse que, além do reforço do protocolo de limpeza e o uso de antissépticos adequados para eliminar o vírus na área das agências, está fazendo o afastamento preventivo de colaboradores do grupo de risco, acima de 60 anos e grávidas, e orientando clientes a usarem os canais digitais.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263).