Bandidos roubam caminhão com alimentos e levam para a Furquim Mendes, onde carga foi saqueada

Extra
·2 minuto de leitura

Um caminhão que transportava alimentos foi roubado, na manhã desta quinta-feira, e levado para a Favela Furquim Mendes, no Jardim América, na Zona Norte do Rio, onde foi saqueado. Um flagrante feito pelo "Bom Dia Rio", da TV Globo, mostrou homens retirando a carga do veículo e espalhando-a num ponto da comunidade. Depois, ela foi colocada em posta-malas de carros e num caminhao menor. As imagens mostraram também que homens armados faziam a escolta da carga.

A Polícia Militar informou que equipes do 16º BPM (Olaria) foram acionadas para a Furquim Mendes. De acordo com a corporação, os PMs encontraram parte da carga. Ninguém foi preso.

Em entrevista ao "Bom Dia Rio", o porta-voz da PM, major Ivan Blaz, classificou as imagens como "impactantes". Ele ressaltou que uma das medidas tomada para impedir esse tipo de situação é os batalhões posicionarem, diariamente, viaturas "estrategicamente para impedir a entrada de carga nas comunidades".

— Logicamente que o criminoso é criminoso 24 horas por dia. Ele está sempre procurando um novo caminho, uma nova rota para entrar com a carga a roubada, ou então, há coniventes por parte de motoristas — disse o oficial.

Blaz explica que os criminosos estão se articulando para expandir a sua área de atuação. De acordo com ele, essas áreas de atuação estão chegando a regiões "que não tinham aquele visual que estávamos acostumados a ver, típicos de favela":

— Verificamos criminosos atuando em áreas que eram conhecidas como simples bairros residenciais. Isso acontece na área de Guadalupe, Chapadão e também na Furquim Mendes. Ontem (quarta-feira), vimos isso acontecer em Senador Camará, sob influência de criminosos da Vila Aliança. Então, é um desafio que estamos lidando.

O porta-voz citou também que bandidos de comunidades perto de rodovias e vias espressas costumam ter envolvimento com roubos de cargas. Eles abordam caminhões no início da manhã.

— É quando há um grande trânsito de cargas pela Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Muitas vezes, esses assaltos acontecem em centros de distribuição ou às margens das rodovias e então a carga é levada — disse.

De acordo com ele, esse tipo de ação criminosa é o que faz com que os batalhões adotem o posicionamento estratégico as viaturas:

— Isso é feito diariamente e cobrado pelos comandantes dos batalhões para que aconteça, para que possa impedir realmente, quase que em um jogo medieval, ocupando pontos, ocupando acessos, para impedir que essa carga entre nas comunidades.