Bangcoc impõe confinamento parcial para combater coronavírus

·1 minuto de leitura
Bangcoc impôs, a partir deste sábado, medidas de confinamento parcial para enfrentar um aumento no número de casos de covid-19

A vida noturna de Bangcoc ficará adormecida por um tempo, quando o fechamento de bares, discotecas e estabelecimentos que vendem álcool entrar em vigor neste sábado (2), com o objetivo de enfrentar um aumento nos casos de covid-19.

A Tailândia parecia ter passado pelo pior da pandemia, registrando menos de 4.000 infecções em novembro. No ano passado, foi o segundo país a detectar casos de coronavírus, em janeiro de 2020.

Houve, porém, um surto de casos em dezembro, em um grande mercado de frutos do mar e, no momento, há infecções detectadas em 53 das 77 províncias deste país do Sudeste Asiático. Neste sábado, o número de casos saltou para 7.300.

Em Bangcoc, onde há mais de 2.600 casos ativos, as autoridades agiram rapidamente e anunciaram um confinamento parcial a partir de hoje.

Bares e boates, estádios de boxe, casas de briga de galos e massagens, salões de beleza e academias estão entre os estabelecimentos e locais públicos afetados.

Na sexta-feira, a capital também que as escolas públicas fecharão por duas semanas, enquanto mais de uma dezena de postos de controle de vírus foram instalados em toda cidade.

"Não queremos usar medidas extremas, como confinamento, ou toque de recolher, mas precisamos de um remédio mais forte para prevenir um novo surto", disse Taweesin Visanuyothin, porta-voz do grupo de trabalho do governo contra a covid-19.

Em nível nacional, as novas restrições estão em vigor de 4 de janeiro a 1º de fevereiro, com um "período de carência" de dois dias para que as empresas se preparem, acrescentou.

bur-dhc/oho/mar/me/tt