Banhista é atacada por foca no Havaí após ignorar alerta; veja vídeo

Sinais e barreiras de cordas foram ignorados por uma banhista que entrou no mar em uma praia de Honolulu, no Havaí (EUA), na manhã de domingo, que aparentemente foi mordida por uma foca-monge enquanto nadava. As sinalizações foram colocadas desde que a mãe foca-monge Rocky deu à luz a um filhote no início de julho. No vídeo, gravado em Kaimana, em Waikiki, a mulher se aproxima do filhote do animal sem perceber e acaba sendo atacada.

Testemunhas na praia de Kaimana gravaram o incidente, compartilhado nas redes sociais. As imagens mostram o momento exato em que a mulher sofreu o ataque a poucos metros da areia. Na gravação, a banhista, vítima do ataque, gritou por socorro antes que um homem em um caiaque fosse salvá-la.

Segundo informações publicadas no Hawaii News Now, a mulher tinha sido avisada por funcionários da Hawaii Marine Animal Response, organização de proteção à vida marinha, que o mergulho não era em área habitada por focas. Os especialistas afirmaram que os animais poderiam reagir mal à presença humana e acabar apresentando comportamento agressivo como mecanismo de defesa ao entender que seriam invasores.

Para os biólogos locais, a violência da foca-monge, que pode medir cerca de dois metros de comprimento e pesar até 205 kg, foi para proteger o filhote recém-nascido porque, no momento em que a banhista entrou no mar, o animal estava amamentando.

Ao ser retirada do mar, a mulher foi lavada para o hospital com ferimentos em um dos braços, no rosto e nas costas. Em comunicado, o Departamento de Terras e Recursos Naturais do Havaí, informou que a vítima é uma professora de 60 anos e residente da Califórnia.

"Se não fosse o homem do caiaque remando para salvá-la, ela teria ficado ainda mais ferida. A foca estava apenas defendendo o seu filhote dessa banhista, que estava no lugar errado, na hora errada", disse Curt Otsuka, que fez o registro em vídeo do incidente.

Os alertas para a população se manter longe do mar da região estão mantidos em praias em que as focas vivem isoladas na costa. Autoridades locais estão investigando o incidente, já que, no Havaí, é proibido por lei tocar, assediar, ferir ou matar focas. Além disso, há instruções para as pessoas ficarem a pelo menos 45 metros de distância de uma mãe foca e de seus filhotes mesmo que a recomendação não seja prevista em lei.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos