Barack e Michelle Obama inauguram retratos presidenciais na Casa Branca

Barack Obama e a ex-primeira-dama Michelle

WASHINGTON (Reuters) - Barack Obama e sua esposa, a ex-primeira-dama Michelle Obama, retornam à Casa Branca nesta quarta-feira para inaugurar seus retratos oficiais, recepcionados pelo colega democrata Joe Biden mais de cinco anos após a saída do ex-presidente do gabinete.

Retratos formais e grandes de presidentes e primeiras-damas dos Estados Unidos adornam paredes, corredores e salas por toda a Casa Branca.

Normalmente, um ex-presidente retorna para a inauguração durante o mandato de seu sucessor, mas não houve cerimônia para os Obamas enquanto o republicano Donald Trump estava no cargo de presidente.

Retratos anteriores dos Obamas que foram inaugurados em 2018 e expostos na Galeria Nacional de Retratos de Smithsonian se tornaram uma grande atração turística.

Os Obamas selecionaram os artistas negros Kehinde Wiley e Amy Sherald para pintá-los, as primeiras encomendas de artistas negros para retratos presidenciais no museu.

Trump, antes de vencer a eleição em 2016 e suceder Obama em 2017, foi um defensor de longa data do movimento "birther" que sugeria falsamente que Obama não nasceu nos Estados Unidos e, portanto, não deveria ser presidente.

O presidente da Associação Histórica da Casa Branca, Stewart McLaurin, disse que não há um processo prescrito para retratos presidenciais.

"Cabe ao atual presidente da Casa Branca e ao ex-presidente que aparece no retrato determinar o momento certo, mas não há um cronograma definido", disse ele.

(Reportagem de Jeff Mason)