Barcelona terá que indenizar ex-Palmeiras com quantia milionária

Matheus Fernandes vai receber 8,5 milhões de euros (quase 48 milhões de reais) por demissão sem justa causa

Matheus Fernandes jogou pouco pelo Palmeiras e foi negociado com o Barcelona. Foto: Heuler Andrey/Getty Images
Matheus Fernandes jogou pouco pelo Palmeiras e foi negociado com o Barcelona. Foto: Heuler Andrey/Getty Images

O Barcelona deve indenizar Matheus Fernandes, ex-Pameiras, em 8,5 milhões de euros (quase 48 milhões de reais) por demissão sem justa causa. A decisão foi tomada pela justiça espanhola, segundo relato da emissora de rádio Cadena SER.

O Barça decidiu rescindir unilateralmente o contrato do brasileiro no verão de 2021, apesar de ter assinado até 2025. Por isso, o futebolista levou a entidade ao tribunal. Pediu uma indemnização de 14,8 milhões de euros (cerca de 83,5 milhões de reais), mas o tribunal decidiu deixar o valor praticamente em metade.

Leia também:

Matheus chegou ao Barça em 2020 vindo do Palmeiras. O clube pagou sete milhões de euros pela sua transferência. O jogador jogou apenas 17 minutos com a camisa do Barcelona e foi emprestado ao Valladolid, onde atuou apenas em três jogos.

O volante chegou ao Palmeiras no final da temporada de 2018, depois de se destacar pelo Botafogo. No clube paulista entrou em campo somente 12 vezes, seis delas como titular e marcou um gol.

A negociação com o gigante europeu causou surpresa e foi comemorada e o então diretor de futebol palmeirense, Alexandre Mattos contou como acontece o interesse.

"No final de outubro (de 2019) eu liguei para o André Cury (empresário do jogador) e falei para ele trazer o Abidal (secretário-técnico do Barcelona) aqui para o Brasil, que eu queria mostrar um jogador para ele", contou.

"O André achou que era o Dudu. Na verdade o Abidal foi lá ver um treino do time reserva do Palmeiras. Eu falei para ele 'olha o número 35'. Na época me chamaram de doido. 'Você quer vender um jogador reserva do Palmeiras, que pouco jogou, para o Barcelona?'. Quero. Ah, não jogou? Critério do treinador, a gente tem que respeitar, é assim mesmo", justificou Mattos.