Barco em que casal desaparecido em Angra estava não é obrigado a ter chip de localização, o que dificulta as buscas

·3 minuto de leitura

As buscas pelo casal Cristiane Nogueira da Silva, de 48 anos, e Leonardo Machado de Andrade, de 50, desaparecidos em Angra dos Reis desde o último domingo, 22 de agosto, continuam. Neste sábado, o delegado Vilson de Almeida Silva, da 166ª DP (Angra dos Reis), acompanhou os trabalhos e explicou que, apesar de nenhuma hipótese ser descartada, para a polícia, a possibilidade mais próxima é de que a embarcação tenha afundado. Segundo ele, a traineira em que o casal estava, pelo tamanho que tem, não é obrigada a ter um chip localizador, o que é um dificultador.

A Polícia Civil ainda não tem pistas sobre a embarcação em que estavam Cristiane, de 48 anos, e Leonardo, de 50. Apesar de não descartar hipótese alguma na investigação, segundo o delegado Vilson de Almeida Silva, da 166ª DP (Angra dos Reis), para a polícia, a possibilidade mais próxima é de que a embarcação tenha afundado.

— Estamos procurando a embarcação ou os destroços dela. Ontem (sexta-feira), a equipe esteve no local onde o Leonardo tinha a casa e na Lagoa Verde procurando informações, e ainda não tem nada esclarecedor sobre o paradeiro deles, só que eles saíram no domingo passado às 16h e não foram mais vistos — falou o delegado, completando: — A Capitania dos Portos me informou que, pelo tamanho dela, não é obrigatório o uso de chip de localização, fica mais difícil ainda.

Filho pede orações

O filho de Cristiane, Guilherme Brito, publicou um vídeo no Instagram em que pede orações pelo ex-companheiro de sua mãe, Leonardo Machado de Andrade. Os dois estão desaparecidos desde que saíram em um barco para ver o pôr do Sol em Angra dos Reis no último domingo e não retornaram.

No vídeo, Guilherme afirma que tem recebido muitas mensagens de apoio e oração pela mãe dele, e pediu que as pessoas rezassem também pelo ex-companheiro dela. A viagem do casal, que estava separado, era uma tentativa de reconciliação.

— Peço que rezem para o Leonardo também, para ele estar bem, saudável, porque minha mãe, apesar de ser muito forte, não saberia sobreviver na mata, não saberia sobreviver no mar — disse o rapaz.

Guilherme tem acompanhado de perto as buscas dos bombeiros pelo paradeiro do casal. Segundo a Polícia Civil, apesar de não terem encontrado indícios da embarcação ainda, a hipótese mais próxima é de que o barco tenha afundado. O filho de Cristiane acredita que Leonardo ajudaria sua mãe a sobreviver nesse cenário:

— Acredito muito que ele é esperto. Ele vai saber sobreviver na mata. Minha mãe é forte, guerreira, ela é muito especial, mas seria indefesa. Eu pedi que rezem pelo Leonardo também, porque se ele estiver bem de saúde vai conseguir armar uma barraca, consertar o barco, vai saber retornar com ela.

O barco em que o casal estava era uma traineira que já havia pertecido a Leonardo. Ele pegou o barco emprestado para que ele e Cristiane fossem à Lagoa Verde assistir ao pôr do sol. Os dois saíram da Praia da Longa, em Ilha Grande.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos