Barr diz que não planeja indicar procurador especial para inquérito sobre Hunter Biden

Mark Hosenball e David Shepardson
·1 minuto de leitura
William Barr concede entrevista coletiva no Departamento de Justiça dos EUA

Por Mark Hosenball e David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) - O secretário de Justiça e procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, disse nesta segunda-feira que não planeja indicar um procurador especial para investigar Hunter Biden, filho do presidente eleito dos EUA, Joe Biden.

Barr, que deve deixar o cargo nesta semana, também disse que não indicará nenhum procurador especial para investigar alegações infundadas de fraude eleitoral. No início deste mês, Hunter Biden revelou que a Procuradoria do Delaware está investigando sua situação tributária.

A investigação sobre Hunter Biden "está sendo tratada responsável e profissionalmente atualmente dentro do departamento", disse Barr em uma coletiva de imprensa.

Barr ainda disse que não vê "base nenhuma" para o governo dos EUA confiscar urnas eletrônicas usadas na eleição de 2020.

Na semana passada, o vice-secretário de Justiça Jeffrey Rosen, sucessor de Barr, não quis dizer em uma entrevista à Reuters se indicaria um procurador especial para investigar Hunter Biden ou questões eleitorais.