Barra de chocolate, bombom ou ovo de Páscoa? Saiba como baratear as compras

Camilla Muniz
1 / 2

75775434_Rio de Janeiro 23-03-2018 - Venda de ovos de Páscoa nas Lojas Americanas da rua Uruguai.jpg

Venda de ovos de Páscoa já começou em lojas e supermercados

A menos de um mês para a Páscoa, que será celebrada em 12 de abril, chocolates de diversos tipos já tomaram conta das gôndolas no varejo. Por conta do aumento da demanda, o preço do produto sobe nesta época do ano, o que exige cuidado nas compras. Para quem não abre mão da tradição doce que envolve a data e precisa economizar, a dica é equilibrar os presentes, ou seja, investir em barras de chocolate e bombons para adultos e deixar os ovos de Páscoa, mais caros que as outras duas opções, para as crianças. Além disso, promoções de última hora podem ser boas oportunidades de adquirir produtos com descontos.

Ovos de Páscoa custam mais do que bombons e barras de chocolate porque são produzidos exclusivamente para a comemoração do feriado. A logística mais complexa para distribuição e armazenamento do produto, que é mais frágil e ocupa mais espaço, também o encarecem. Outros fatores que elevam os preços são os brindes contidos no interior dos ovos, que fascinam a criançada, e as embalagens sofisticadas.

De acordo com o economista Gilberto Braga, professor de Finanças do Ibmec, ao comprar ovos de Páscoa, é preciso verificar o peso do produto e relacioná-lo ao preço, já que o tamanho da embalagem pode dar impressão de uma quantidade maior e levar o consumidor ao engano. Como os pequenos se apegam mais ao brinquedo que vem com o chocolate do que ao próprio doce, uma saída para gastar menos é adquirir um ovo de Páscoa pequeno, que sai mais em conta e mantém o simbolismo da data da mesma maneira que um grande.

A variedade de bombons e barras de chocolates à venda no mercado é uma vantagem para quem quer poupar dinheiro. Caixas que contêm apenas bombons especiais, com peso reduzido, podem ser uma opção econômica de presente. Ter flexibilidade para comprar produtos de marcas diferentes ou menos tradicionais também é importante para enxugar a despesa.

Para o costume de presentear parentes com ovos de Páscoa não pesar no bolso, a família da jornalista e roteirista Izaura Barbosa, de 52 anos, adotou a brincadeira do "ovo oculto", amigo-oculto temático em que um limite de valor é estabelecido para a compra do item.

— Fazemos isso em casa há dois anos. Assim, não compro chocolate para todos — conta a integrante do time de "caçadores de ofertas" do "Qual oferta", plataforma dos jornais EXTRA, O Globo e Expresso que reúne, no impresso e no digital, as melhores promoções de supermercados, drogarias e lojas de departamento de Rio e Grande Rio.

Adquirir os chocolates de Páscoa com antecedência dá ao consumidor a vantagem de encontrar uma oferta diversificada de produtos e não enfrentar tumulto em lojas e supermercados. Por outro lado, quem deixar as compras para a última hora pode se beneficiar de promoções para queima de estoques. Segundo o economista Gilberto Braga, como as pessoas estão focadas em garantir itens de primeira necessidade por conta da pandemia do coronavírus, é possível que a guerra de preços no varejo para venda de chocolate às vésperas da Páscoa seja mais acirrada este ano.

— A tendência das famílias, neste momento, é adiar as compras de Páscoa. Com isso, a oferta fica maior do que a demanda — diz o professor de Finanças do Ibmec.

Para ovos de Páscoa, promoções do tipo "leve mais e pague menos" são comuns na reta final dos estoques. Consumidores preocupados em economizar podem também comprar barras de chocolate e derretê-las em casa para fazer os próprios ovos, com o uso de moldes apropriados. Outra maneira de aliviar as contas é adquirir chocolates variados no atacado e montar cestas de Páscoa para presentear amigos e parentes.