Barragens se rompem na Bahia após chuvas e forçam retirada de moradores

·2 min de leitura

Por Leonardo Benassatto e Amanda Perobelli

ITABUNA (Reuters) - Duas barragem se romperam na Bahia, após semanas de fortes chuvas, elevando o nível de rios da região já cheios e com risco de inundações, disseram autoridades locais neste domingo.

A barragem do Iguá, próxima à cidade de Vitória da Conquista, no sul da Bahia, desabou na noite de sábado, levando autoridades a retirar moradores em risco rio abaixo, principalmente na cidade de Itambé.

Uma segunda barragem cedeu à elevação do nível das águas em Jussiape, 100 quilômetros ao norte do Estado, na manhã de domingo, trazendo mais alertas para os moradores se mudarem para locais mais seguros.

Não houve relatos de mortes ou ferimentos causados ​​pelas rupturas das barragens, embora pontes e estradas tenham sido danificadas.

Mais para a costa, em Itabuna, uma cidade de 200 mil habitantes, equipes de bombeiros resgataram moradores presos em suas casas no centro da cidade que estavam debaixo d'água, disseram repórteres da Reuters.

"É uma loucura na ponte, há ondas de quase 2 metros de altura", disse o lojista Luiz Constancia à Reuters.

As equipes de resgate remaram com botes ao longo das ruas inundadas para alcançar as famílias presas ou levar suprimentos. Um homem remou em um colchão inflável para chegar a uma casa.

Moradores disseram que o nível do rio Cachoeira, que corta a cidade localizada a 30 quilômetros da cidade portuária de Ilhéus, é o maior em 50 anos.

Em Vitória da Conquista, a prefeita Sheila Lemos, disse que todos os moradores próximos à represa Iguá que foi destruída já foram retirados.

Em uma publicação no site da prefeitura de Vitória, Lemos afirmou que a enchente ameaçou cortar a rodovia BR-116, uma importante rota de caminhões entre o Nordeste e o Sul do Brasil.

"Tiramos todas as pessoas que estavam próximas desse córrego, então todas as medidas foram tomadas e estamos prontos para dar toda a assistência aos moradores. Agora é torcer realmente para que não quebre a estrada e não precise interditar a 116", ressaltou.

O governador da Bahia, Rui Castro, disse que pelo menos 400 mil pessoas foram afetadas pelas fortes chuvas e milhares foram retiradas de mais de 67 cidades que enfrentam situações de emergência devido às enchentes causadas por fortes chuvas por quase dois meses.

"São milhares de pessoas que tiveram de sair de suas casas, porque a água subiu um metro, dois metros, em alguns lugares, até três metros", disse ele a jornalistas no sábado.

As chuvas já causaram 18 mortes na Bahia desde o início de novembro, incluindo um proprietário de balsa de 60 anos que se afogou no Rio das Contas, disseram autoridades da Defesa Civil.

Em Salvador, metereologistas disseram que as chuvas em dezembro foram seis vezes maiores do que a média.

(Reportagem de Leonardo Benassatto e Stephen Eisenhammer; texto de Anthony Boadle)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos