Barroso define ataques que sofreu de bolsonaristas: “Mistura de ódio e ignorância”

Barroso sofre ofensas em aeroporto de Miami
(Reprodução)
Barroso sofre ofensas em aeroporto de Miami (Reprodução)
  • Luís Roberto Barroso define ataques verbais que sofreu em Miami como "mistura de ódio e ignorância";

  • Ministro tentava pegar um voo em direção a Brasília quando se tornou alvo de bolsonaristas;

  • Episódio aconteceu na noite de segunda-feira (2).

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), definiu os ataques verbais que sofreu ao tentar embarcar em um voo em Miami (EUA) como uma “mistura de ódio, ignorância, espírito antidemocrático e falta de educação”.

Em nota, o magistrado afirmou que “o Brasil adoeceu” e complementou: “Espero que consigamos curá-lo e que uma luz espiritual ilumine essas pessoas”.

O episódio aconteceu na noite da segunda-feira (2), no aeroporto internacional de Miami. Barroso tinha como destino Brasília. Segundo um dos presentes, a confusão começou quando uma mulher gritou “tiraram Lula da cadeia para colocá-lo na presidência”.

Em seguida, bolsonaristas aplaudiram e começaram a gritar “sai do voo”, a vaiar o ministro e a chamá-lo de “ladrão”, “vagabundo” e “boca de veludo”. Em vídeos que circulam nas redes sociais, é possível notar que Barroso não reage às provocações.

Segundo informações do colunista Lauro Jardim, do portal O Globo, o episódio chegou a atrasar o embarque em alguns minutos. Brasileiros que embarcaram para Brasília acreditam que o ministro desistiu de entrar na aeronave.

Nas redes sociais, o ministro da Justiça, Flávio Dino, garantiu que vai enviar um ofício pedindo a investigação do caso. Ele definiu os envolvidos nas agressões verbais como “extremistas antidemocráticos”.

Esta não é a primeira vez que Barroso sofre ofensas em espaços públicos. Em novembro, ele foi abordado por bolsonaristas enquanto caminhava em Nova York, nos Estados Unidos. Na época, ele perdeu a paciência com um manifestante que o questionou sobre uma eventual resposta às Forças Armadas e disse: “Perdeu, mané, não amola”. Posteriormente, admitiu que se arrependeu da fala.