Barroso determina devolução do passaporte de Carlos Wizard

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP: O empresário Carlos Wizard Martins durante o jantar em homenagem ao vice-presidente Michel Temer, organizado pelo empresário João Doria Jr., em São Paulo (SP). (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress) ORG XMIT: AGEN1310250303425965
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP: O empresário Carlos Wizard Martins durante o jantar em homenagem ao vice-presidente Michel Temer, organizado pelo empresário João Doria Jr., em São Paulo (SP). (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress) ORG XMIT: AGEN1310250303425965

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), concedeu uma liminar determinando a devolução do passaporte do empresário Carlos Wizard.

O documento tinha sido apreendido por determinação da CPI da Covid antes de ele prestar depoimento.

Wizard estava nos EUA e, quando desembarcou no país, teve o passaporte retido pela Polícia Federal (PF).

A justificativa da comissão era a de que ele deveria ficar à disposição para prestar depoimento, sem fazer nova viagem ao exterior.

Nesta semana, Wizard falou aos senadores, e exerceu o direito de ficar em silêncio.

A CPI decidiu manter a apreensão do documento até o encerramento de seus trabalhos, que ainda não tem data.

O advogado Alberto Toron recorreu ao STF argumentando que era "irrazoável a retenção do passaporte", uma vez que ele já havia prestado depoimento "e não há notícia de que a CPI precisará ouvi-lo outra vez".

Toron afirma que o empresário já se comprometeu a "retornar à comissão sempre que necessário".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos