Barroso e Rosa Weber pagarão suas despesas na viagem a Israel

FREDERICO VASCONCELOS
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, 31.08.2018: Rosa Weber e Luís Roberto Barros- Sessão extraordinária do TSE, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, 31.08.2018: Rosa Weber e Luís Roberto Barros- Sessão extraordinária do TSE, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os ministros Luís Roberto Barroso e Rosa Weber, do STF (Supremo Tribunal Federal), viajarão a Israel a convite da Conib (Confederação Israelita do Brasil) sem nenhuma despesa ou custo para a corte A Conib, a Fisesp (Federação Israelita do Estado de São Paulo) e o Project Interchange promoverão um seminário em Israel para ministros do STF e do STJ (Superior Tribunal de Justiça) entre os dias 15 e 21 deste mês. A assessoria de Barroso informa que essa é “a regra nas viagens dele”. A assessoria de Weber diz que sua viagem também não terá nenhum custo para os cofres públicos. O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, viajará acompanhado de membros do STF e do STJ. O gabinete de Toffoli informou que a agenda do presidente do STF é diferente da dos demais ministros que viajarão a convite da Conib. O STF informou, no final de maio, que, por questões de segurança, mudou a forma de divulgação dos compromissos do presidente da corte. Antes, a agenda era divulgada com antecedência. Os convites aos ministros foram enviados por Fernando Lottenberg, presidente da Conib, Luiz Kignel, presidente da Fisesp, e Nisha R. Abkarian, diretora executiva do Project Interchange. A agenda inclui encontros com membros do Knesset, o Parlamento israelense, com ministros da Suprema Corte de Israel, funcionários dos Ministérios da Defesa e das Relações Exteriores, analistas políticos e acadêmicos. A programação prevê visitas a locais históricos, políticos, religiosos e culturais.