Barroso e Rosa Weber votam por envio imediato de denúncia contra Temer à Câmara

Por Ricardo Brito
Ministra do STF, Rosa Weber, durante sessão em Brasília 8/6/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - Os ministros Luís Roberto Barroso e Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), votaram nesta quarta-feira para rejeitar o pedido da defesa do presidente Michel Temer de impedir o envio da denúncia contra ele para a Câmara dos Deputados, levando o placar do julgamento a quatro votos a zero pelo envio da acusação à Casa.

Barroso e Rosa Weber acompanharam o voto do relator Edson Fachin e do colega Alexandre de Moraes para remeter a acusação criminal contra Temer por organização criminosa e obstrução de Justiça para que os deputados decidam se o STF deverá julgar a denúncia.

Para Barroso, não há motivo técnico para barrar essa remessa para que a corte, antecipadamente, faça uma análise das provas das delações dos executivos da J&F, holding que controla a JBS. Os advogados de Temer questionaram a inclusão dessa colaboração na denúncia feita pelo ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot.

"Não há razão para se precipitar qualquer pronunciamento prévio da Câmara dos Deputados", disse Barroso. "A palavra está com a Câmara dos Deputados e não com o Supremo Tribunal Federal", destacou.

Rosa Weber, em um voto rápido, disse que acompanhava na íntegra o voto de Fachin no sentido de que, na atual fase pré-processual, não é possível fazer um exame prévio da acusação criminal feita pelo ex-procurador-geral da República.