Batalha iminente em Kherson

A Ucrânia acusa a Rússia de pilhar as casas abandonadas na cidade de Kherson, no sul do país, ocupando-as com tropas em trajes civis. Responsáveis em Kiev consideram que a estratégia faz parte dos preparativos para o que poderá ser uma das mais importantes batalhas desde o início da invasão.

Nos últimos dias, as forças russas têm ordenado aos civis para deixarem a cidade, algo que as autoridades ucranianas classificam como "deportação forçada", um crime de guerra.

Os russos, que controlam Kherson, têm providenciado barcos para transportar os residentes para a margem esquerda do rio Dnipro.

Os que fogem da ocupação russa explicam que têm de esconder os telefones dos soldados e dizem-se impossibilitados de contactar o mundo externo.

A Rússia impôs a lei marcial nas quatro regiões que proclamou como suas em setembro.

O presidente russo Vladimir Putin afirmou que 80.000 militares, que fazem parte da recente vaga de mobilização, estão agora a lutar na região.

O Exército ucraniano, por seu lado, diz estar a aproximar-se de Kherson. O objetivo parece ser, para já, destruir a logística e cadeia de abastecimento russa, para tornar inviável a presença dos ocupantes.