‘BBB23’: entenda a ‘síndrome do intestino tímido’ que dificulta a ida dos participantes ao banheiro

O Big Brother Brasil já começou e tudo indica que a pressão do confinamento sobre os “brothers” também. Isso porque alguns participantes reclamaram com a produção do programa de constipação, ou seja, a dificuldade de ir ao banheiro evacuar. O enfermeiro Cezar black precisou ir até o confessionário pedir um analgésico pois não aguentava de dor de cabeça decorrente do intestino preso. A atriz Bruna Griphao também disse passar pela mesma situação e revelou que já ficou 12 dias sem fazer cocô.

Há riscos na calistenia? Conheça a prática que causou a morte do instrutor Bruno Roque Pereira

Shakira e Piqué: como a infidelidade afeta a saúde mental de quem passa por ela

“gente, eu tô bem bolada com esse lance de ir ao banheiro. Sabia? Eu tô preocupada. Eu tinha uma coisinha, assim, o cara morava em São Paulo. Eu já voltei pro Rio só para ir ao banheiro”, disse a jovem.

A condição é comum e tem até nome: parcopresis, ou síndrome do intestino tímido, caracterizada pela dificuldade do indivíduo de usar o banheiro, seja para urinar ou para defecar, em um lugar ou contexto em que não se sinta seguro. Não existe uma causa especifica para o problema, entretanto um estudo conduzido pela Sociedade Britânica de Patologia explica que essa fobia pode estar relacionada a algum trauma, principalmente durante a infância e a vida escolar. A timidez ou alguma piada relacionada ao uso do banheiro feita nesse período também podem estar associados a essa síndrome.

Geralmente este tipo de fobia vem do medo de alguém fazer alguma pergunta indiscreta quando você volta do banheiro, como por exemplo: “você demorou, onde estava?”, ou que a simples ida ao banheiro vire motivo de graça, chacota por parte de outras pessoas do local, além do sentimento de que o odor exalado pelas fezes ou o som dos gases, pode ser ouvido por outras pessoas ao redor, o que dificulta o relaxamento que é essencial para a evacuação.

Riscos

Especialistas afirmam que não é recomendado em hipótese alguma segurar as fezes. Tentar bloquear essa necessidade fisiológica pode piorar ainda mais o desconforto. Entre os riscos estão: o aumento na formação de gases, o ressecamento das fezes que ficam presas e acumuladas no reto. Possibilitando outras dores e doenças, sendo muitas vezes, necessário ajuda médica para fazer uma lavagem. Alterações no humor, e mais ao longo prazo, problemas mais graves, como como fissuras anais, hemorroida e sangramento intestinal, também podem ocorrer.

Suplementação de vitamina D: estratégia pode não funcionar em pessoas acima do peso, diz estudo

Apesar de não existir uma porcentagem de pessoas que sofram desse tipo de problema, estima-se que cerca de 25% da população mundial tem intestino preso, em sua maioria, mulheres, ou seja, uma grande parte desse número, certamente possui esse tipo de síndrome. O estudo realizado pela Sociedade Britânica de Patologia também mostrou que pelo menos 4 milhões de pessoas sofrem da síndrome apenas no Reino Unido.

Tratamento

Normalmente medicamentos que facilitem a evacuação são prescritos e recomendados pelo médico para o tratamento da síndrome. Porém, se o distúrbio persistir, com o avanço da idade, isso pode indicar também algum transtorno de ansiedade ou até mesmo algo mais grave como ataques de pânico.

Nesses casos é indicado fazer um tratamento terapêutico com sessões de psicoterapia para identificar e tratar os gatilhos. Em alguns casos ter o acompanhamento psiquiátrico e também o uso de medicamentos como ansiolíticos se faz necessário. Entretanto, é preciso que médicos especialistas sejam procurados e consultados para investigar a causa e saber o melhor meio de tratar a condição.

Maneiras de vencer a síndrome

A primeira dica dos especialistas para vencer a fobia é usar banheiros públicos, como o do trabalho ou até mesmo o de shoppings em horários mais tranquilos e vazios, assim a concentração e o relaxamento são maiores. Opte também por usar banheiros com menor circulação, em andares mais afastados, ou em caso do escritório, tente utilizar o banheiro de outros andares onde as pessoas dificilmente vão te conhecer.

Se possível utilize os desodorantes de sanitário ou bloqueadores de odor para eliminar o cheiro e a sensação de que outras pessoas possam sentir. É possível encontrar o produto em versões menores para colocar na bolsa e usar sempre que a vontade bater.

Covid-19: variante XBBB cresce em SP e RJ

Os especialistas também recomendam ouvir uma música no momento, pois ajuda a esquecer o ambiente a sua volta e concentrar apenas no que está fazendo.