BC da China manterá política monetária flexível no próximo ano para apoiar crescimento

·1 min de leitura
Pessoas com máscaras passam pela sede do banco central chinês

PEQUIM (Reuters) - A China manterá sua política monetária flexível no próximo ano, à medida que busca estabilizar o crescimento e reduzir os custos de financiamento para empresas em meio a obstáculos econômicos crescentes, disse o banco central nesta segunda-feira.

Em uma reunião de fim de ano para delinear o trabalho para 2022, o Banco do Povo do China (PBoC, na sigla em inglês) acrescentou que intensificará a supervisão das empresas de capital e de plataformas e implementará continuamente um sistema de gerenciamento para o financiamento imobiliário.

Crises de dívidas em grandes incorporadoras imobiliárias afetaram o setor, essencial para o crescimento econômico da China.

"Uma política monetária prudente é flexível, razoável e apropriada", disse o banco central em comunicado.

O PBoC disse que usará múltiplas ferramentas de política monetária para manter a liquidez razoavelmente ampla e garantir que o crescimento da oferta monetária e do financiamento social esteja em linha com o crescimento nominal do Produto Interno Bruto (PIB).

"O PBoC assumirá efetivamente a responsabilidade de estabilizar a macroeconomia e implantar de forma proativa políticas monetárias e financeiras que conduzam à estabilidade econômica", disse o órgão em um comunicado em seu site.

O banco central chinês acrescentou que terá como objetivo aumentar as flutuações da moeda chinesa ao mesmo tempo que a mantém basicamente estável em um nível razoável e equilibrado, enquanto melhora a vinculação dos juros com base no mercado para reduzir os custos de financiamento para as empresas.

(Por Stella Qiu, Ella Cao e Ryan Woo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos