BC russo mira corte de juros e alerta para mudanças estruturais na economia

·1 min de leitura

(Reuters) - O banco central da Rússia vai considerar cortar ainda mais sua taxa básica de juros nas próximas reuniões do conselho, disse a presidente da autoridade monetária, Elvira Nabiullina, nesta quinta-feira, sinalizando os desafios econômicos que o país enfrenta enquanto tenta atenuar o impacto das sanções ocidentais com relação à Ucrânia.

Nabiullina também disse que a Rússia está analisando ajustes em seus controles cambiais para evitar situações em que a taxa de câmbio do rublo se desvie dos níveis oficiais em um mercado paralelo.

Ao iniciar seu novo período de cinco anos no comando da política monetária, Nabiullina terá que lidar com uma crise econômica em larga escala, enfrentando a incerteza decorrente das sanções do Ocidente.

O aumento da taxa para 20% no final de fevereiro, num movimento de emergência pelo banco central russo, ajudou a estabilizar o rublo e superar uma alta na inflação, disse Nabiullina. O banco então cortou a taxa de juros para 17% em 8 de abril. Sua próxima reunião de diretoria será em 29 de abril.

"Vamos considerar a possibilidade de redução (da taxa) nas próximas reuniões", disse Nabiullina, falando na câmara baixa do Parlamento, a Duma. Ela não disse se deve se esperar um corte na reunião da próxima semana.

Andrei Kostin, presidente do segundo maior concessor de empréstimos da Rússia, VTB, que é alvo de sanções ocidentais, disse nesta quinta-feira que espera que o banco central corte a taxa básica para 15% este mês e para 12-13% até o final de ano, segundo a agência de notícias Tass.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos