Bebê morre por "combinação letal de drogas" depois de ser amamentado pela mãe

Bucks County District Attorney’s Office

Um bebê de onze semanas morreu por causa de uma “combinação letal de drogas” ingerida por meio do leite materno, disseram as autoridades. O caso aconteceu na Pensilvânia, nos Estados Unidos.

Samantha Whitney Jones, de 30 anos, foi acusada pelo homicídio do filho, identificado como RJ. Uma autópsia revelou que o sangue do bebê tinha presença de metadona, anfetamina e metanfetamina. A mulher pode ser condenada à prisão perpétua.

Samantha contou à polícia que estava muito cansada para ir à cozinha preparar uma mamadeira para o bebê. Ela, então, optou por amamentar o filho, mas não tinha certeza se ele de fato havia tomado o leite.

Depois, ela afirmou ter pedido ao marido para preparar a mamadeira, deu ao filho e o colocou no berço. Ao acordar, cerca de uma hora depois, ela disse que foi checar o bebê que estava pálido, sem respirar e tinha sangue saindo pelo nariz.

Samantha, então, pediu para que a mãe acionasse os serviços de emergência. Elas começaram a reanimá-lo e a polícia chegou minutos depois. A criança chegou a ser socorrida ao hospital, mas não resistiu.

Uma perícia foi feita no leite artificial e na mamadeira, mas não havia a presença de drogas ilícitas em ambos.

No tribunal, o advogado da mulher disse que ela “sofreu a maior perda que um ser humano pode sofrer”. A defesa classificou a morte do bebê como um “horrível acidente”.