Bebê que nasceu com os intestinos do lado de fora do corpo é salva por médicos que a embrulharam em plástico filme

Darcie Musto foi embrulhada em plástico filme quase imediatamente após ter nascido (Foto: SWNS)

Uma bebê que nasceu com os intestinos para fora do corpo foi milagrosamente salva após ter sido embrulhada em plástico filme.

Jade Adams, de 20 anos, recebeu a notícia após um ultrassom feito na décima segunda semana de gravidez, de que sua filha poderia ter um defeito de nascença conhecido como gastrósquise, ou uma má formação abdominal.

Mas segundos após o nascimento de Darcie Musto, os médicos a embrulharam firmemente em plástico filme para manter os órgãos no lugar e evitar infecções.

Após passar menos de um minuto com os pais, Jade e Lewis Musto, Darcie foi levada para a sala de operação, a fim de colocar seus intestinos para dentro de seu corpo.

Jade e Lewis Musto são os pais da pequena Darcie (Foto: SWNS)

Agora, ela já está de volta a sua casa em Braintree, Essex, após seis operações, provando que a garotinha é uma verdadeira lutadora.

Sua família está arrecadando dinheiro para o The Sick Children’s Trust, que lhes ofereceu alojamento perto do hospital Great Ormond Street enquanto a menina ainda estava mal.

Jade disse: “quando me disseram que ela tinha gastrósquise, fiquei absolutamente devastada. Foi horrível”.

Darcie nasceu no Hospital Broomfield em Chelmsford, Essex (Foto: SWNS)

“Ela está bem agora, se desenvolvendo muito bem. Mas na época, fiquei arrasada. Quando ela nasceu, precisamos da equipe de reanimação, pois ela era prematura e eu não tinha tomado quaisquer esteroides ou coisas do tipo”.

“Mas ela nasceu e começou a respirar por conta própria. Eles a embrulharam em plástico filme, igual àqueles que costumamos ter em uma gaveta na cozinha, passando várias vezes em volta do corpo dela”.

Descrevendo a batalha heroica da filha, ela disse: “dez minutos após nascer, ela foi embora com Lewis para o Great Ormond Street. Tive que dar meu consentimento para a operação por telefone, o que foi absolutamente horrível, porque eu só queria estar com ela.

Darcie desafiou as probabilidades em sua luta pela sobrevivência (foto: SWNS)

“Eles embrulharam os intestinos dela no plástico filme de novo, mas quando cheguei lá, ela já tinha sido operada”.

“Ela conseguiu sobreviver a uma batalha e tanto, seis operações e um total de 16 semanas no hospital. Estamos muito orgulhosos dela”.

O casal descobriu a anormalidade durante a tomografia de 12 semanas de gravidez, em fevereiro de 2016. Eles souberam que estavam esperando um filho no dia 26 de dezembro  de 2015.

“As pessoas na sala do ultrassom estavam conversando entre si e meu parceiro perguntou se algo estava errado”, disse Jade.

“Eles disseram que achavam que se tratava de uma gastrósquise e eu nunca tinha ouvido falar nisso”.

Os futuros pais receberam o diagnóstico dois dias mais depois.

A condição, que afeta 1 a cada 3000 bebês todos os anos, geralmente ocorre quando os intestinos não se movem para o abdômen do feto e crescem fora do corpo, por conta de uma má formação da parede abdominal.

Darcie e sua mãe, Jade, estão já estão aproveitando a companhia uma da outra em casa (foto: SWNS)

Jade deu à luz a Darcie no hospital Broomfield no dia 31 de julho do ano passado, quando ela foi imediatamente embrulhada em plástico filme e levada para o hospital Great Ormond Street.

Mais tarde, Darcie foi diagnosticada com atresia intestinal e teve problemas de estoma.

A condição foi revertida, mas Darcie pegou um vírus que afetou seus pulmões. A doença se reinstalou e ainda persiste.

Agora a menina já está em casa e os médicos esperam que ela se recupere totalmente após outra operação de remoção do estoma em setembro.

“Estamos muito orgulhosos dela”, disse Jade.

O casal está arrecadando dinheiro para a Guildford Street House, que lhes forneceu alojamento durante a batalha de sua filha. Você pode doar através deste link.

Nick Reilly
Yahoo News UK