Bebê tem braço amputado após ataque de jacaré em Goiás

·2 minuto de leitura
Lagoa Grande, em Porangatu. Foto: Reprodução
Lagoa Grande, em Porangatu. Foto: Reprodução
  • Criança tem apenas 1 ano e 8 meses

  • Menino se encontra clinicamente bem

  • Prefeitura toma providências para proteger a área

Um bebê de um ano e oito meses teve o antebraço direito amputado após ataque de jacaré na Lagoa Grande, em Porangatu, no Norte de Goiás. A criança está em recuperação no Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), segundo informou o médico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) Juliano Ferreira nesta quinta-feira (24).

O médico relatou também que o braço do bebê estava “muito destroçado” quando chegou ao hospital, mas afirma que agora ele se encontra clinicamente bem. "Ele vai ter vida normal. A articulação do cotovelo ficou preservada para poder implantar uma prótese futura”, contou.

O ataque ocorreu ontem, quarta-feira (23). De acordo com o relato da mãe, o bebê estava com a babá no lago quando ela escutou gritos. Correu até o local e encontrou o filho ferido nos braços da babá.

Leia também:

“Ela disse que a babá estava passeando com o menino, quando a mãe escutou o choro. A babá disse que o animal abocanhou o braço do bebê e puxou para a água, ela contou que entrou na água e tirou a criança da boca do jacaré”, contou o médico.

A criança foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), transportada ao Hospital Municipal, levada para Uruaçu e encaminhada por um helicóptero ao Hugol, onde passou pela cirurgia de amputação.

A Prefeitura de Porangatu soltou um comunicado no qual lamenta o ocorrido e afirma que a espécie não costuma apresentar risco aos humanos, mas que é necessário tomar cuidado nas áreas em que eles habitam. A Secretaria Municipal de Turismo e Meio Ambiente (Semma) também afirma que foram solicitadas placas informativas em maio para serem expostas no local.

"No planejamento ambiental e no plano de governo, será feita a revitalização da Lagoa, onde está incluído a logística do manejo de capivaras e jacarés", diz o informe.

A praia da lagoa foi fechada ao público, segundo a Semma. A secretaria pede também que pessoas não acessem a área e não alimentem os animais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos