Bebida adulterada mata 21 pessoas no México

A ingestão de uma aguardente adulterada matou 21 pessoas e deixou outras 13 em estado grave desde o último sábado em dois municípios do estado de Jalisco, no Oeste do México. As autoridades investigaram o produto e concluíram que a bebida destilada continha "alta concentração de metanol (...), utilizado como combustível e de uso industrial". O anúncio foi realizado nesta quarta-feira.

— Até o momento são 56 pessoas afetadas, das quais lamentavelmente 21 perderam a vida e 29 seguem doentes — disse Hugo Esparza, coordenador da Unidade de Inteligência Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Jalisco, acrescentando que 13 intoxicados foram levados de helicóptero para hospitais de Guadalajara, capital de Jalisco.

Os casos começaram a surgir no sábado, quando moradores dos municípios de Tamazula de Gordiano e Mazamitla procuraram os centros de saúde com "sintomas como visão embaçada ou perda de visão, dor abdominal intensa, dificuldade de respirar e convulsões", segundo a secretaria de Saúde de Jalisco.

Os afetados haviam consumido uma aguardente a base de cana de açúcar produzida no vizinho estado de Michoacán e distribuída em Tamazula de Gordiano.