Beco do Batman, em SP, passa por obras para reduzir alagamentos

·3 minuto de leitura
SÃO PAULO, SP, 07.07.2021 - O Beco do Batman, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, está passando por uma reforma com obras de drenagem para reduzir os pontos de alagamento. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 07.07.2021 - O Beco do Batman, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, está passando por uma reforma com obras de drenagem para reduzir os pontos de alagamento. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Beco do Batman, na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo, está recebendo uma série de reformas para evitar o acúmulo de água e melhorar as vias e calçadas do local. O término das obras está previsto para esta quinta-feira (8), segundo a Subprefeitura de Pinheiros, responsável pelas ações.

A reforma teve início no dia 22 de junho com o intuito de solucionar o acúmulo de água, frequente no ponto turístico. De acordo com a subprefeitura, uma vala para drenagem de água foi aberta e estão sendo implantados uma boca de lobo e um ramal para canalizar a água da chuva que passa pelas calhas das residências.

"A obra é super válida, porque é um problema grave. No local em que às vezes paro o carro, tem uma placa que avisa que é uma área sujeita à alagamento. Já vi aquilo literalmente virar um rio e as pessoas terem que dar ré, porque, se não, a enxurrada te pega", conta Brendon Peters, 39, proprietário da Avoca Toast, lanchonete no Beco do Batman.

Peters conta que seu estabelecimento não sofre diretamente com os alagamentos por estar situado em uma parte mais alta da rua Medeiros de Albuquerque. O mesmo ocorre com a galeria de arte Alma da Rua, vizinha à lanchonete.

"Toda época de chuva realmente alaga o beco. A água chega a mais de um metro de altura e carrega os carros", relata Lara Pap, 51, gerente da galeria.

O acúmulo de água, todavia, não se restringe às ruas Gonçalo Afonso e Medeiros Albuquerque, onde está o Beco do Batman. Segundo Isabelle Furtado, 24, funcionária de um comércio local, a travessa Alonso é um ponto de alagamento vizinho ao ponto turístico.

"A obra até agora não chegou aqui, na esquina da rua Aspicuelta com a travessa Alonso. Seria bacana ajeitar também a boca de lobo que fica à direita, no início da Aspicuelta, para poder escoar bem a água", sugere.

Além das obras de drenagem, melhorias estão sendo feitas nas calçadas, com reforma em alguns pontos e construção de duas rampas de acessibilidade na entrada do ponto turístico pela rua Harmonia, segundo a subprefeitura.

Nessa mesma entrada, os malotões que continham o acesso de veículos estão sendo substituídos por pilares de madeira.

De acordo com a Secretaria Municipal das Subprefeituras, as obras do Beco do Batman estão sendo realizadas por equipes já contratadas para os trabalhos da Subprefeitura de Pinheiros, sem necessidade de contratações e gastos extras.

COMÉRCIO

Os muros do Beco do Batman voltaram a ganhar grafites no início de fevereiro. Desde novembro do ano passado, as paredes do local estavam pintadas de preto em protesto pelo assassinato do artista Wellington Copido Benfati, conhecido como NegoVila.

Comerciantes locais relatam que o movimento no ponto turístico ainda não é o mesmo de antes da pandemia.

"Ainda não voltou ao normal. Os jovens acabaram voltando a frequentar o beco, antes dos consumidores normais, mas ainda está bem fraco o público, em comparação ao que tínhamos antes de visitantes", conta a gerente da galeria Alma da Rua, Lara Pap.

Peters, dono da Avoca Toast, diz ter notado a presença de turistas estrangeiros. "Acho que muitos estão vindo de países onde a vacinação está mais avançada e, como o Brasil não é um país que impõe muitas restrições, tenho visto muitos estrangeiros", explica.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos