Beco do Batman, em SP, volta a receber grafites após luto por assassinato de artista

GABRIELA BONIN
·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 30.11.2020 - Artistas e grafiteiros do Beco do Batman. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 30.11.2020 - Artistas e grafiteiros do Beco do Batman. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os muros do Beco do Batman, na Vila Madalena, na zona oeste da cidade de São Paulo, voltam a ganhar grafites nesta semana. Desde novembro, as paredes do local estavam pintadas de preto em protesto pelo assassinato do artista Wellington Copido Benfati, conhecido como NegoVila.

O grafiteiro, com 40 anos na época, foi morto por um tiro que, segundo testemunhas, foi disparado por um policial na frente de uma distribuidora de bebidas na Vila Madalena, em 28 de novembro. Dois dias depois, o Beco do Batman amanheceu todo pintado de preto e com dizeres "Nego eterno", "Nego eternamente" e "Mais 1 Nego Assassinado".

"O protesto foi bem-sucedido, alcançou visibilidade e estava na hora de os grafites retornarem", afirma o artista visual Rafael Calazans Pierri, 43, conhecido como Rafael Highraff. "O próprio NegoVila ia querer isso."

Segundo Highraff , os artistas se organizaram priorizando os profissionais que já tinham artes no local, para que pudessem reocupar seus espaços. Além disso, convidaram artistas mulheres para também pintar os muros, buscando a representatividade do grafite feminino.

"É algo inédito", comenta o artista sobre a pintura simultânea do beco. "É a primeira vez que estamos nos organizando coletivamente para pintar tudo de uma vez só."

Os comerciantes locais esperam que as pinturas tragam mais movimento ao beco. Segundo a vendedora Nathaly Araújo, 28, a movimentação, que já era pouca por causa da pandemia do novo coronavírus, acabou sendo ainda menor durante os meses em que os muros estavam pintados de preto.

"Acredito que o retorno das artes pode movimentar o beco, mas é tudo muito incerto. Estamos na expectativa para ver como será esse primeiro final de semana após a volta dos grafites", afirma a vendedora, que trabalha em uma loja na esquina do beco com a rua Medeiros de Albuquerque.

Na manhã desta sexta-feira (5), parte dos muros continuava com as homenagens ao Negovila. Segundo os artistas que estão repintando o local, a ideia é cobrir tudo com cores. "O beco sem o grafite não é nada", afirma Rafael Highraff. "Foi a arte que fomentou o comércio e o turismo aqui."

A volta dos grafites surpreende alguns turistas desavisados. A administradora Ana Carolina da Hora, 43 anos, é de Salvador e veio para São Paulo a passeio. Mesmo achando que o Beco do Batman estava pintado de preto, resolveu visitar o local. "Foi muito legal ser surpreendida pelas novas cores", diz.