‘Beija-me’... Bernardo de Assis e Juliana Alves falam sobre o final feliz de Catatau e Renatinha em ‘Salve-se quem puder’

·4 minuto de leitura

U m final tão significativo, a ponto de arrancar aplausos do próprio elenco, por indicação do autor. É no capítulo desta quarta-feira (14) que os fãs de “Salve-se quem puder” vão conferir o tão aguardado beijo de Catatau (Bernardo de Assis) e Renatinha (Juliana Alves), o primeiro em novelas entre um homem trans e uma mulher cisgênero. O “Sessão Extra” adiantou com exclusividade a novidade na edição do dia 29 de junho e agora traz fotos e diálogos da cena (confira mais abaixo).

Leia mais:

— Eu e Bernardo nos jogamos mesmo. Não foi um beijinho, foi um beijaço! E ficamos muito emocionados quando acabou a gravação. A gente sabe da importância que é ter uma mulher negra numa novela em que contamos nos dedos de uma mão a quantidade de nós no elenco e um ator trans fazendo um personagem como ele. No país em que vivemos, o que mais mata LGBTs, responsabilidade no entretenimento é crucial. Não é só expor a intolerância, mas também dar bons exemplos. É a oportunidade de usar toda a visibilidade e o engajamento da teledramaturgia para transformar uma realidade que não é boa para ninguém — analisa Juliana, de 39 anos.

Leia mais:

Antes transfóbica e petulante com o office boy, a secretária baixou a guarda quando se percebeu cortejada pelo rapaz a quem insistia em destratar.

— Catatau usou a estratégia dos elogios e das cantadas hilárias, mas, apesar de estar apaixonado por Renatinha, se manteve firme ao exigir respeito. Esse posicionamento corajoso chamou atenção dela, que começou a olhá-lo como um homem íntegro e interessante. No auge da carência, ela demonstrou humanidade — observa a atriz, ressaltando particularidades dessa redenção na segunda fase da novela de Daniel Ortiz: — Às vezes, as pessoas não mudam, se adaptam às situações. Todo o tempo, Renatinha usou sua agressividade para o mal. Agora, reverte essa energia positivamente: dá um basta à violência.

Leia também:

Para gravar a cena em meio à pandemia da Covid-19, Juliana e Bernardo passaram por testes PCR e se comprometeram a permanecer em isolamento criterioso por dias.

— A gente só tirava as máscaras na hora do “Ação!”, e no “Corta!”, tomava banhos de álcool. Na cena anterior do casal em que quase rolou o beijo, foi usado acrílico — explica Bernardo, que compensou a necessidade de distanciamento com a conexão digital: — Não pudemos ter convivência nos bastidores, mas interagimos por mensagens, passamos o texto por vídeo.

O ator, de 26 anos, está ansioso para assistir ao desfecho de seu primeiro papel na TV:

— É um beijo emblemático, revolucionário, representa muito. E Ju é uma mulher politizada, engajada em várias causas, como eu. Foi incrível essa troca com ela!

A atriz ressalta a importância de uma cena assim ir ao ar no horário das sete:

— Renatinha e Catatau transpõem a barreira do julgamento e se entregam a esse amor. Mostram a vida como ela é, de maneira bonita. Esse beijo não é uma agressão à família brasileira porque o amor não é agressivo. Só adultos intolerantes se incomodam. Eu quero que minha filha (Yolanda, de 3 anos, fruto do casamento com o diretor Ernani Nunes) se inspire pelo amor, e não por quem está amando. E que tenha a liberdade de ser quem ela quiser.

Leia também:

A cena na cafeteria, em detalhes

Na aguardada cena desta quarta-feira, Renatinha e Catatau chegam juntos a uma cafeteria, onde estão Erick (Cláudio Olegário), Isaac (Conrado Caputo), Carol (Andressa Robles) e Tammy (Lívia Inhudes). Erick menciona conhecer o office boy de algum lugar, e Carol decifra: “É a Lucy, que treinou com a gente uns dois anos atrás”.

Isaac retruca, rindo: “Tá doida, Carol? Lucy era baixinha, essa aí é um mulherão”. E ela explica: “Não é a bonitona. A Lucy é aquele cara. Ela já era meio caminhoneira, agora virou isso”. E começa a chamar Catatau pelo nome que ele usava antes da transição de gênero. O rapaz, então, se lembra do grupo de ginástica artística.

“Gente, a Lucy tá fingindo que é homem!”, diz Tammy, sendo rebatida por Catatau com firmeza: “Eu não tou fingindo, eu sou homem!”. E Isaac destila seu preconceito: “Homem sou eu, cê é uma aberração!”.

Enquanto Erick tenta acalmar os ânimos, Tammy alfineta ainda mais: “O mundo tá perdido... E essa barba? É implante isso aí?”. É quando Renatinha explode: “Chega! Ninguém mexe com o meu macho!”. No deboche de Isaac, a secretária completa: “Mais macho que você!”, e joga suco na cara dele e bolo em cima de Tammy.

Catatau também reage: “Dois ignorantes! Preconceituosos! Se é show que cês querem, é o que cês vão ter”. E puxa a amada para um beijo daqueles! Isaac se mostra enojado, e toda a cafeteria se levanta para aplaudir a cena. Erick e Carol celebram: “Viva o amor!”. Vaiados, Tammy e Erick se retiram.

Leia também:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos