De Belém a Osasco: veja quais são as cidades com menor distância entre Lula e Bolsonaro nas urnas

A disputa entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL), a mais acirrada desde a redemocratização, foi ainda mais apertada que no restante do país em 158 municípios brasileiros, onde a distância entre os dois candidatos a presidente ficou abaixo do 1,8 ponto percentual dos votos válidos registrado a nível nacional. A maioria desses municípios está localizada nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul, de acordo com levantamento do GLOBO com base em dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Na lista (veja abaixo), estão duas capitais: Belém (PA), onde Lula venceu por uma diferença de 4.807, ou 0,56 ponto percentual, e João Pessoa (PB), cidade na qual a distância do petista para Bolsonaro foi de somente 925 votos, o que corresponde a 0,2 ponto percentual.

Resultado: Crescimento de Lula em relação a Haddad no Sudeste explica vitória sobre Bolsonaro

Mapa: As 'ilhas' de Bolsonaro e Lula no segundo turno das eleições

No grupo de municípios mais divididos, Bolsonaro venceu em 80 cidades e Lula, em 76. Em dois municípios, ambos tiveram a mesma votação. São eles Irati (SC), em que os dois tiveram 846 votos, e Guará (SP), cidade na qual tanto Lula quanto Bolsonaro receberam o apoio de 5.529 eleitores.

Ao todo, 44 dos municípios mais divididos do país estão em Minas Gerais, estado com placar mais apertado do país e no qual Lula terminou em primeiro com uma diferença de apenas 0,4 ponto percentual. A maior cidade na lista é Ribeirão da Neves, que tem mais de 300 mil habitantes e onde Lula terminou na frente por uma diferença de 2.155 votos. No município de Nanuque, Bolsonaro venceu Lula por um único voto.

Em São Paulo, o município mais populoso na lista é Osasco. Na cidade, que fica na Região Metropolitana de São Paulo, Lula venceu por 3.529 votos, o que equivale a menos de 1 ponto percentual.

A disputa também foi mais apertada que no quadro nacional em outras 20 cidades paulistas, entre elas Araraquara, que é comandada pelo prefeito petista Edinho Silva, coordenador da campanha de Lula. Na cidade, o presidente eleito teve adesão de 50,5% dos votos válidos e marcou uma diferença de 1.305 votos para Bolsonaro.

No Rio, o placar foi mais apertado em Barra do Piraí, no sul do estado, em que Lula venceu Bolsonaro por apenas 17 votos. No Rio Grande do Sul, a cidade Cerro Largo teve a votação mais acirrada. A diferença entre os dois candidatos foi de apenas dois votos, com Lula à frente.

No Pará, além de Belém, outro destaque é Ananindeua, segundo maior município do estado. Bolsonaro teve maior dos votos por uma distância de apenas 1.572 votos, ou 0,56 ponto percentual.