Bela Gil recusa convite para integrar governo Lula e diz que será apenas colaboradora

A chef de cozinha Bela Gil recusou convite para assumir uma secretaria no Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), mas disse que prestará consultoria ao governo na área de alimentação saudável. Ela havia sido convidada pelo ministro Paulo Teixeira (PT) para assumir a secretaria especial de alimentação saudável, pasta que será criada na nova estrutura, mas recusou o convite alegando questões familiares e profissionais.

Bela Gil havia integrado o grupo de trabalho (GT) de combate à fome durante o governo de transição e suas sugestões tinham chamado a atenção de políticos de diferentes partidos que estavam no mesmo GT. O ministro Paulo Teixeira chegou a convocar coletiva para anunciar a nova integrante da equipe.

Novo governo: Ministro da Justiça discute com PF e PRF providências contra novas manifestações antidemocráticas

Em Brasília: PGR se manifestou contra prisão preventiva de bolsonaristas acusados de atos violentos

Bela Gil comentou em uma rede social que teve de declinar do convite por questões de agenda. "Meu compromisso com a luta por uma alimentação digna, saudável e presente, um direito constitucional, para toda a população continua e se fortalece com esse diálogo. Muito obrigada pela confiança", escreveu.

Em nota, Teixeira agradeceu a disposição de Bela Gil em seguir como colaboradora do governo. Ele ainda acrescentou que “vai contar com a ajuda dela na importante missão de combater a fome e melhorar a qualidade da alimentação do povo brasileiro, um dos pontos centrais do programa de governo do presidente Lula”.

Na sexta-feira, Teixeira apresentou o deputado estadual Edegar Pretto (PT-RS) para o cargo de presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Para que ele ocupe a presidência, ainda é preciso de aval do conselho da estatal.

O MDA foi recriado neste terceiro governo do PT e ressurge da divisão do Ministério da Agricultura, que foi desmembrado ainda para a Pesca. A nova pasta, oficialmente chamada de Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, ficou com o comando do PT e com importantes estruturas, como a Conab e o Incra, em seu guarda-chuva.