Quase 5 milhões sul-coreanos já votaram nas eleições presidenciais

Seul, 4 mai (EFE).- Quase 5 milhões de sul-coreanos votaram nesta quinta-feira de forma antecipada para as eleições presidenciais de 9 de maio, um pleito que acontece por causa da destituição da ex-presidente Park Geun-hye pelo caso "Rasputina".

No total, 4,97 milhões (11% do eleitorado) aproveitaram para depositar suas cédulas nesta quinta-feira nos mais de 3.500 pontos habilitados para a votação antecipada, segundo dados da Comissão Nacional Eleitoral (NEC, sigla em inglês).

Este sistema, que está sendo aplicado pela primeira vez em eleições presidenciais para incentivar a participação do eleitorado, que as previsões indicam que poderia aumentar em torno de 4%, segundo a NEC, e permite que os sul-coreanos votem de maneira antecipada hoje e amanhã.

Pouco mais de 42,4 milhões de sul-coreanos, segundo a NEC, estão aptos a comparecer às urnas para escolher o novo presidente da república para os próximos cinco anos.

As últimas eleições presidenciais, realizadas em dezembro de 2012, contaram com um nível de participação de 75,8%.

Esta é a primeira vez que a Coreia do Sul antecipa as eleições para escolher o presidente, depois que, pela primeira vez desde que foi instituída a democracia, o Tribunal Constitucional ratificou a destituição de um chefe de Estado.

Park Geun-hye foi deposta pela Justiça sul-coreana no dia 10 de março devido ao sua envolvimento no caso de corrupção que ficou conhecido como "Rasputina".

A ex-governante se encontra em prisão preventiva e será julgada por um caso que abalou os alicerces políticos e econômicos do país devido ao envolvimento de grandes empresas, entre elas a Samsung, cujo presidente também está preso e indiciado.

A partir de hoje, os sul-coreanos podem escolher entre 13 candidatos à presidência, depois que dois dos 15 que inicialmente apresentaram suas candidaturas deixaram a corrida eleitoral.

As últimas pesquisas dão como claro favorito o liberal Moon Jae-in, com 42% das intenções de voto.

Logo em seguida, empatados com 18%, o centrista Ahn Cheol-soo e o conservador Hong Joon-pyo. EFE