Bento é o terceiro a cair após críticas do Bolsonaro sobre preços da Petrobras

RIO- O almirante Bento Albuquerque, que era ministro de Minas e Energia desde o início da presidência de Jair Bolsonaro e foi exonerado na manhã desta quarta-feira, é o terceiro nome do governo a cair em meio à críticas do presidente sobre a política de preços da Petrobras.

Na segunda-feira, a estatal reajustou o preço do diesel nas refinarias em 8,87%. Este ano, o combustível já acumula alta de 47%. O preço da gasolina nas bombas também está em patamar recorde.

Em fevereiro do ano passado, também em meio a uma forte alta nos preços dos combustíveis, Bolsonaro demitiu o então presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, que estava no cargo desde o início do governo.

E, em março deste ano, o substituto de Castello Branco, o general Joaquim Silva e Luna, foi demitido também em meio a críticas do presidente Bolsonaro à alta de preços da Petrobras.

Ele foi substituído por José Mauro Ferreira Coelho, ex-secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos