Bento Albuquerque descarta risco de racionamento em 2021, mas pede uso racional de energia

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — Diante de uma seca histórica, o governo se prepara para adotar medidas para garantir o fornecimento de energia no país, principalmente no segundo semestre, no auge do período seco. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que não há risco de racionamento neste ano.

O ministro, porém, pede ajuda do consumidor no sentido de usar energia de forma mais “racional”. E vem se reunindo com membros de diversos gabinetes, como os presidentes do Senado e da Câmara e até o Procurador-Geral da República, Augusto Aras. Pretende conversar ainda com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux.

O governo acaba de acionar a bandeira vermelha nível 2 neste mês de junho, que determina uma cobrança adicional de R$ 6,24 por cada 100 quilowatts/hora de consumo. Em paralelo, faz um levantamento sobre outras fontes de energia, como a termelétrica, por exemplo, para serem utilizadas.

A importação de energia de Argentina e Uruguai está entre uma das ações já implementadas. Leia a íntegra da entrevista exclusiva e saiba quais medidas estão no radar do governo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos