Berlim nega que Trump tenha cobrado de Merkel suposta dívida alemã com Otan

Berlim, 27 mar (EFE).- O governo alemão negou nesta segunda-feira que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tenha apresentado à chanceler Angela Merkel uma conta na qual cifrava em 340 bilhões de euros uma suposta dívida da Alemanha com a Otan.

O porta-voz do Executivo alemão, Steffen Seibert, desmentiu a informação publicada no último fim de semana pelo jornal britânico "Times", na qual apontava-se que Trump apresentou a Merkel em sua reunião há dez dias uma conta com este número.

"Não é certo que o presidente Trump tenha apresentado à chanceler uma espécie de fatura com um número concreto de bilhões de euros", afirmou Seibert em entrevista.

Além disso, o porta-voz reiterou que a aliança não se sustenta através de cotas de seus membros e que não se pode falar que um país deve dinheiro à Otan.

"Na Otan não há em absoluto algo parecido a uma conta de dívidas", acrescentou.

O número, explicava o jornal, é a diferença entre os 2% do Produto Interno Bruto (PIB) que os aliados acordaram em investir em defesa e a porcentagem que a Alemanha gastou de fato na área desde 2002 (o primeiro ano em que compromisso foi abordado), que sempre esteve abaixo do objetivo.

Segundo o orçamento geral, a Alemanha deve gastar este ano em torno de 1,18% em defesa, uma verba que no ano que vem - segundo a primeira minuta apresentada pelo Ministério das Finanças - subirá até 1,23%.

Na entrevista coletiva conjunta que Merkel e Trump concederam em Washington, o americano voltou a exigir que seus parceiros europeus elevassem sua despesa militar, mas não falou de números concretos.

No entanto, Trump escreveu no dia seguinte em sua conta no Twitter que "a Alemanha deve somas enormes à Otan". EFE