Peña Nieto pede a Trump para não descontar "frustração política" no México

Cidade do México, 5 abr (EFE).- O presidente do México, Enrique Peña Nieto, pediu nesta quinta-feira ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para não descontar sua frustração com a política interna americana em seu país, mas ressaltou estar disposto a negociar partindo da base do "respeito mútuo".

"Se as recentes declarações (de Trump) deveriam de uma frustração com assuntos de política interna, com as leis americanas ou com o Congresso, que se dirija a eles, não aos mexicanos", afirmou Peña Nieto em um vídeo publicado nas redes sociais.

O presidente do México afirmou que não vai permitir que a "retórica negativa" defina as relações bilaterais e ressaltou que é muito melhor para todos que os dois países entrem em um acordo como amigos, sócios e bons vizinhos.

Ao longo da semana, Trump fez várias críticas ao México, citando especialmente a caravana de imigrantes da América Central que percorre o país rumo aos EUA. Por isso, o presidente americano determinou o envio da Guarda Nacional para a fronteira sul.

"Estamos prontos para negociar e a chegar a acordos, mas sempre partido da base do respeito mútuo", afirmou Peña Nieto.

"Não teremos medo de negociar, mas nunca vamos negociar com medo", destacou o líder mexicano, citando uma conhecida frase do ex-presidente americano John F. Kennedy.

Peña Nieto enviou a mensagem mais contundente até então sobre as declarações de Trump, elevando o tom da resposta mexicana, até então moderada e feita através de outros membros do governo.

O secretário de Governo, Alfonso Navarrete, por exemplo, disse que o México não tem a intenção de suspender a cooperação com os EUA e que busca uma relação aberta, franca e transparente com o vizinho.

Por outro lado, o Senado do México aprovou ontem, de forma unânime, um pronunciamento que condena as "infundadas ofensivas contra o México" de Trump, exigindo respeito. EFE