Beto Carrero pede desculpas e diz que promoção para apoiadores de Lula era uma 'piada'

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após divulgar uma promoção para incentivar eleitores do PT a não votarem no segundo turno das eleições, o parque temático Beto Carrero World divulgou uma nota nesta quinta-feira (27) em que "pede desculpas pelo mal-entendido" e diz que o episódio foi uma "piada".

"Galera, cadê o bom humor? Muita gente não entendeu a piada, não abrimos o parque antes das 8h ou controlamos o horário de entrada e saída. Todos são muito bem-vindos aqui, independente do horário ou da cor da camisa", afirma o post do parque nas redes sociais.

E diz ainda: "O Beto Carrero World vem pedir desculpas publicamente pelo mal-entendido. Antes ou depois de vir se divertir vá exercer o seu direito de votar. Pense no futuro do Brasil".

O parque de Santa Catarina já tinha oferecido 25% de desconto para quem fosse ao local com roupas das cores da bandeira do Brasil até a próxima segunda-feira (31).

Nesta semana, a empresa anunciou o desconto para quem for ao parque de vermelho no próximo domingo (30), data do segundo turno eleições, entrando antes das 8h e saindo depois das 17h –ou seja, para aproveitar a "promoção", a pessoa tem que deixar de votar no dia da eleição.

O Beto Carrero apelidou a entrada para eleitores que usam a cor vermelha de "Passaporte para Todos", e afirmou que ele é destinado ao "amigo que não gosta de verde e amarelo".

A oferta repercutiu nas redes sociais, e foi interpretada como tentativa de compra de votos.

Como mostrou a coluna, a campanha do ex-presidente Lula apresentou notícia-crime à Justiça pedindo que que o Beto Carrero World seja investigado por crime eleitoral.

Na notícia-crime contra a empresa, os advogados de Lula afirmam que a intenção da "promoção" é "afugentar parte do eleitorado ", já que "é de conhecimento comum que a votação no próximo domingo ocorrerá justamente entre às 8h e 17h".

"A estética da publicação não deixa dúvidas que se trata de uma evidente referência ao Partido dos Trabalhadores e seus militantes, o que pode ser observado pelas letras destacadas da maior frase estampada: 'passaporte Para Todos', bem como a referência da cor vermelha em contraposição ao verde e amarelo", afirmam ainda os advogados.

A petição é assinada por Cristiano Zanin Martins, Valeska Teixeira Zanin Martins e Eugênio Aragão, entre outros