Beto Carrero: Saiba quem está à frente de parque que anunciou promoção para petistas no horário da eleição

O parque de diversões Beto Carrero World, em Penha, Santa Catarina, se envolveu em nova polêmica a poucos dias do segundo turno das eleições. As “promoções” relacionadas a opções políticas de clientes causaram uma repercussão negativa nas redes e chegou até o Tribunal Regional Eleitoral do estado, que determinou, nesta quinta-feira, que o parque pare de fazer propaganda eleitoral nas redes sociais ou em qualquer outro site e remova eventuais postagens do gênero, sob pena de multa de R$ 100 mil por publicação. A "oferta" mais recente era direcionada para quem vestisse vermelho e entrasse no parque no próximo domingo antes das 8h e saísse depois das 17h. Ou seja: durante todo o período de votação. "Essa é para o amigo que não gosta de verde e amarelo", dizia a imagem.

Fundado em 1991 por João Batista Sergio Murad, o gigante "Beto Carrero" já foi presidido por Alexandre Von Janke Murad, um de seus três filhos, que desde 2013 atua como presidente do conselho do parque. Juliana e Kelly Murad são as outras filhas de João Batista.

Assim que o pai morreu, em 2008, Alexandre tomou a frente dos negócios da família, assumindo a presidência do parque. Em 2020, quando o Beto Carrero protagonizou outra polêmica, dessa vez com um evento da Oktoberfest, em meio a restrições da pandemia, foi o próprio Alexandre quem escreveu e publicou uma nota de esclarecimento sobre o caso, chamada por ele de “carta de desabafo”. “Todas as nossas campanhas de marketing, comunicados interno e externo possuem esta linguagem leve e descontraída. Às vezes falamos de coisas sérias brincando e acabamos sendo mal interpretados”, escreveu ele.

Em 2013, no entanto, Alexandre acabou saindo da presidência do parque e começou a gerir o conselho, em busca de novos projetos. Quem assumiu a cadeira foi Adalgiso Telles, engenheiro civil por formação, com mestrado em administração e engenharia de produção e doutorado em engenharia econômica, além de especialização em Ciências Políticas em Harvard.

— Minha intenção é construir um autódromo internacional e trazer a Fórmula 1 para Penha. Meu pai apostou muito em Santa Catarina e é isso que vamos continuar fazendo — disse Alexandre, à época, em cerimônia de solenidade onde Telles assumia oficialmente o cargo de presidente do parque.

Telles ficou na presidência do Beto Carrero World durante um ano. Em novembro de 2014, quem assumiu o cargo mais alto do maior parque da América do Sul foi Rogério Siqueira, que ficou na função por cinco anos e chegou a ganhar o Prêmio Nacional do Turismo, por conta de sua atuação no comando do parque durante a alta temporada de verão 2018/2019.

Quando saiu do cargo, em 2020, a diretoria colegiada passou a responder pelo comando do parque. Alexandre Von Janke Murad segue como presidente do conselho.

Multa de R$ 15 mil

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Von Jake Murad é o quinto maior doador para a campanha de Jorginho Mello (PL), que disputa o governo de Santa Catarina. O político recebeu R$ 80 mil do empresário. Na última terça-feira, o TRE-SC negou recursos de Jorginho Mello e do Beto Carrero World contra uma multa por causa da divulgação de um vídeo de campanha gravado dentro do parque, o que configurou propaganda irregular. O valor aplicado foi de R$ 15 mil para cada um. Ambos tentaram pleitear a redução do valor para o patamar mínimo de R$ 5 mil, sem sucesso.

Segundo Sebastião Muniz, juiz auxiliar relator do caso, “no vídeo, os candidatos são gravados experimentando uma nova atração do Beto Carrero, o brinquedo Rebuliço. No início da gravação, ao narrar a experiência, demonstram conhecimento prévio da publicação, com o objetivo de fazer propaganda eleitoral perante os seguidores do parque Beto Carrero. Os dois são protagonistas do vídeo e usam adesivos de campanha".

“Para que não houvesse dúvida do teor proselitista da publicação, a página descreveu a postagem com uma legenda que não somente promove Jorginho Mello (PL) e Jorge Seiff (PL), como também provoca o atual governador Carlos Moisés (Republicanos), adversário de Jorginho, ao dizer 'fica o 22º convite para você @governadormoises, ou tá faltando coragem?', em óbvia alusão ao número do PL, agremiação dos Representados", concluiu o juiz, no seu voto.