Bicheiro cai em presídio, sofre fraturas e é levado para cirurgia em hospital particular na Barra

O bicheiro José Caruzzo Escafura, conhecido como Piruinha, deixou o Hospital Penitenciário de Bangu na tarde desta sexta-feira para realizar uma cirurgia ortopédica de urgência no quadril, em um hospital particular na Barra da Tijuca. Escafura, que já tem 92 anos, fraturou o fêmur após sofrer uma queda enquanto tomava banho na unidade prisional Casa do Albergado - Crispin Ventino, em Benfica, no final do mês de maio. Em laudo encaminhado para a Justiça, o médico da UPA que funciona em Gericinó afirmou que diante da gravidade das fraturas constatadas, da idade avançada do paciente e do risco de complicações cardiovasculares, era necessário que Escafura fosse transferido para um hospital especializado e de grande porte.

Preso desde maio: Bicheiro José Caruzzo Escafura, o Piruinha, e PM são presos em operação

Rogério Andrade: Mensagens revelam como bicheiros costuram acordos de propina com policiais

A decisão do juiz, autorizando a transferência do bicheiro para realização da cirurgia foi dada na última quarta-feira, dia 13 de julho. No despacho, o magistrado citou a “alta periculosidade” do preso e reforçou que a Secretaria da Administração Penitenciária, através da Polícia Penal, deve garantir que José Caruzzo Escafura seja mantido sob custódia desde a saída do presídio até que ele receba alta da unidade hospitalar.

Os advogados do bicheiro alegam que pela idade avançada, os problemas de saúde e de locomoção, José Caruzzo Escafura não poderia ficar em uma cela sem acompanhamento de uma profissional. Segundo eles, em casa ele contava com a presença de uma cuidadora justamente para evitar que acidentes como esse acontecessem. A defesa afirmou que no dia 24 de maio, após audiência de custódia, entrou com um pedido do que foi chamado por eles de “habeas corpus humanitário” pedindo que o acusado cumprisse a pena em prisão domiciliar com monitoramento eletrônico, o que foi negado pela Justiça.

O juiz que negou o pedido de habeas corpus lembrou que Escafura foi preso preventivamente por homicídio triplamente qualificado e que teria matado a vítima por conta de dívidas relacionadas a jogos de azar. Na decisão, é citado ainda o risco para testemunhas que se sentem ameaçadas pelo bicheiro e a possibilidade de Escafura dar continuidade aos tratamentos médicos e terapêuticos a que era submetido dentro da penitenciária.

O contraventor José Caruzzo Escafura foi preso em uma operação da Delegacia de Homicídios da Capital e do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Rio de Janeiro, na manhã do dia 24 de maio deste ano. Na ocasião, também foi preso o policial militar Jeckson Lima Pereira. Escafura é investigado pela morte de Natalino José do Nascimento Espíndola, o Neto. Ele era proprietário de uma loja de carros e sobrinho de Nésio Nascimento, presidente de honra da escola de samba Tradição. O policial é acusado de ser o executor do crime.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos